Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Aborígenes Australianos





Wagner de Cerqueira e Francisco

     A Austrália é um país mundialmente conhecido por suas belezas naturais, pelo seu desenvolvimento econômico e pela qualidade de vida da população (atualmente apresenta o quarto maior Índice de Desenvolvimento Humano do planeta). No entanto, pouco se comenta da história dos primeiros povos habitantes do território australiano, os Aborígenes.

       Os Aborígenes são a população nativa da Austrália, habitavam a maior parte do território australiano, totalizavam aproximadamente 750.000 indivíduos, subdivididos em 500 grupos e com cerca de 300 dialetos diferentes. Esses grupos possuíam estilos de vida distintos e tradições culturais e religiosas próprias em cada região.

     Com a chegada dos colonizadores ingleses em 1758, deu-se início aos massacres das comunidades Aborígenes. Soldados ingleses visitavam as aldeias fingindo uma aproximação amigável, oferecendo presentes. Porém, outros soldados envenenavam com arsênio a água e os alimentos dos Aborígenes; várias pessoas, inclusive crianças, morreram em consequência do envenenamento.

     Os soldados ingleses destruíram locais considerados sagrados pelos Aborígenes. Também ofereciam bebida alcoólica à população local, e se aproveitavam do estado de embriagues para instigar confrontos entre as diferentes aldeias, fazendo com que eles mesmos se aniquilassem.

    Após proclamada a independência australiana, os Aborígenes passaram a sofrer com a discriminação da população de seu próprio país. Parte da população australiana considerava os Aborígenes como sendo parte da fauna e da flora, não havendo o devido respeito a esses indivíduos.

    Dentre as diversas perseguições sofridas por essa comunidade, se destaca a “The Stolen Generations”, uma tentativa de “limpeza étnica”. Homens, a mando do governo, invadiram as tribos e raptaram crianças, inclusive bebês; muitas foram retiradas de suas famílias, pouco se sabe a respeito do verdadeiro paradeiro delas.

      Atualmente os Aborígenes correspondem a apenas 1% da população australiana. Alguns vivem em aldeias no deserto, outros moram em bairros periféricos das grandes cidades. A maioria não consegue emprego formal e recebe auxílio do governo. Alguns conseguem contribuições da população, tocando nas ruas da cidade o didgeridoo, um instrumento de madeira que produz um som forte parecido com o apito de um navio. É comum encontrar pela cidade aborígenes embriagados, e muitas vezes envolvidos em confrontos com a polícia.

       Com o intuito de minimizar essa triste história, o governo australiano está desenvolvendo políticas antidiscriminação, e preservando as tribos Aborígenes que restaram, proporcionando a preservação das tradições desse povo.

Referência: 
FRANCISCO, Wagner de Cerqueira. Aborígenes Australianos. Disponível em: <http://mundoeducacao.bol.uol.com.br/geografia/aborigenes-australianos.htm> Acesso em 27/09/16.

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Estudos Indígenas 8a Série/E.Fundamental Prof. Camila


Nativos brasileiros



A presente postagem contém informações provenientes de uma apresentação Power Point trabalhada em sala de aula com os alunos do 8º ano da E.M.E.F. Herbert José de Souza no Município de Alvorada. Cada item apresenta um slide.

    1 -   Lei 11645/2008:

Art. 1o  O art. 26-A da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, passa a vigorar com a seguinte redação:
Art. 26-A.  Nos estabelecimentos de ensino fundamental e de ensino médio, públicos e privados, torna-se obrigatório o estudo da história e cultura afro-brasileira e indígena.
§ 1o  O conteúdo programático a que se refere este artigo incluirá diversos aspectos da história e da cultura que caracterizam a formação da população brasileira, a partir desses dois grupos étnicos, tais como o estudo da história da África e dos africanos, a luta dos negros e dos povos indígenas no Brasil, a cultura negra e indígena brasileira e o negro e o índio na formação da sociedade nacional, resgatando as suas contribuições nas áreas social, econômica e política, pertinentes à história do Brasil.
§ 2o  Os conteúdos referentes à história e cultura afro-brasileira e dos povos indígenas brasileiros serão ministrados no âmbito de todo o currículo escolar, em especial nas áreas de educação artística e de literatura e história brasileiras.” (NR)
Art. 2o  Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.
Brasília,  10  de  março  de 2008; 187o da Independência e 120o da República.

    2 - Grupos nativos brasileiros

A costa Atlântica foi, ao longo dos milênios, percorrida e ocupada por inumeráveis povos indígenas. Nos últimos séculos, índios de fala Tupi, bons guerreiros, se instalaram dominadores, na imensidade da área, ao longo da costa Atlântica pelo Amazonas acima, como subindo pelos rios principais, como o Paraguai, o Guaporé, o Tapajós, até as suas nascentes.



    3 - Matriz Tupi

Somavam, possivelmente 1 milhão de habitantes, divididos em dezenas de grupos tribais, cada um deles compreendendo um conglomerado de várias aldeias de trezentos a 2 mil habitantes. Portugal àquela época teria a mesma população ou pouco mais.
Cultivavam mandioca (sabiam extrair o ácido cianídrico), milho, batata-doce, feijão, tabaco abóbora, algodão, cuias, pimentas, abacaxi, erva-mate e o guaraná, entre outras.

     4 - Confederação dos Tamoios 1563 – 1567

    Tupinambás, Carijós, Goitacás e Aimorés.
Os Tamoios venceram diversas batalhas, destruíram a capitania do Espírito Santo e ameaçaram seriamente a de São Paulo. Mas foram enfim vencidos pelas tropas indígenas aliciadas pelos jesuítas.

    5 - Por que não formaram unidade política?

6 - Cada unidade étnica, ao crescer, dividia-se em novas unidades autônomas que, afastando-se umas das outras, iam se tornando diferenciadas e hostis.

    7 - Os índios jamais estabeleceram uma paz estável com o invasor, exigindo dele um esforço continuado, ao longo de décadas, para dominar cada região.
      
    8 - As culturas indígenas americanas

    As primeiras escolas indígenas surgiram no Brasil no século XVI, logo após a chegada dos portugueses. Naquela época, a educação escolar era pautada no princípio da catequização, orientada pelos missionários jesuítas.

     9 - O que é a Constituição de 1988?

  Constituição Federal. Lei fundamental e suprema do país, a Constituição da República Federativa do Brasil, foi promulgada em 5 de outubro de 1988. Isto é, a Assembleia Constituinte, formada por deputados e senadores eleitos, escreveu e aprovou uma nova Constituição, que também pode ser chamada de Carta Constitucional.

   10 - Por que é importante que os direitos indígenas sejam previstos na Constituição?

    11 - Nativos americanos sulinos

   Minuanos e charruas: Caçadores, pescadores e coletores nômades pampianos. Seus sítios arqueológicos encontravam-se disseminados por todo o atual Uruguai, no sul das Missões e na atual Argentina, nos descampados dos Campos de Cima da Serra, no atual Rio Grande do Sul. Foram também encontrados sítios arqueológicos na margem esquerda do Rio Jacuí.


·        
   12 - Os caçadores e coletores exploravam os recursos naturais das zonas alagadiças e das regiões próximas do mar e das lagoas, onde se alimentavam com capivaras, emas, moluscos, pássaros, peixes, ratões-do-banhado e tatus.

Questões de vestibulares

1)(VUNESP) Os primitivos habitantes do Brasil foram vítimas do processo colonizador. O europeu, com visão de mundo calcada em preconceitos, menosprezou o indígena e sua cultura. A acreditar nos viajantes e missionários, a partir de meados do século XVI, há um decréscimo da população indígena, que se agrava nos séculos seguintes. Os fatores que mais contribuíram para o citado decréscimo foram:
a) a captura e a venda do índio para o trabalho nas minas de prata do Potosi.
b) as guerras permanentes entre as tribos indígenas e entre índios e brancos.
c) o canibalismo, o sentido mítico das práticas rituais, o espírito sanguinário, cruel e vingativo dos naturais.
d) as missões jesuíticas do vale amazônico e a exploração do trabalho indígena na extração da borracha.
e) as epidemias introduzidas pelo invasor europeu e a escravidão dos índios.

Resposta: E

2)(FGV) Com relação aos indígenas brasileiros, pode-se afirmar que:

a) os primitivos habitantes do Brasil viviam na etapa paleolítica do desenvolvimento humano;
b) os índios brasileiros não aceitaram trabalhar para os colonizadores portugueses na agricultura não por preguiça, e sim porque não conheciam a agricultura;
c) os índios brasileiros falavam todos a chamada "língua geral" tupi-guarani;
d) os tupis do litoral não precisavam conhecer a agricultura porque tinham pesca abundante e muitos frutos do mar de conchas, que formaram os "sambaquis";
e) os índios brasileiros, como um todo, não tinham homogeneidade nas suas variadas culturas e nações.

Resposta: E

3. (UFSM) "Esta terra, Senhor, é muito chã e muito formosa. Nela não podemos saber se haja ouro, nem prata, nem coisa alguma de metal; porém, a terra em si é de muitos bons ares (...) querendo aproveitar dar-se-á nela tudo (...)". Esse trecho é parte da carta que Pero Vaz de Caminha escreveu, em 1500, ao rei de Portugal, com informações sobre o Brasil. Com base no texto, é correto afirmar:
a) Havia a intenção de colonizar imediatamente a terra, retirando os bens exportáveis para atender o mercado internacional.
b) Iniciava-se o processo de ocupação da terra, circunscrito aos limites do mercantilismo industrial e colonial.
c) Desde o princípio, os portugueses procuraram escravizar os povos indígenas a fim de encontrarem os metais preciosos.
d) Estava evidente o interesse em explorar a terra nos moldes do mercantilismo.
e) Era preponderante a intenção de estabelecer a agricultura com o trabalho livre e familiar no Brasil.

Resposta: D

Referências:

Questões de vestibular  - Brasil Indígena . Disponível  em <http://brasilindigena.blogspot.com.br/2008/11/questes-de-vestibular.htm>. Acesso em 15/09/16

MAESTRY. Breve História do Rio Grande do Sul da Pré-História aos dias atuais. Passo Fundo: Editora UPF, 2010.

PORTAL BRASIL. Constituição Federal. Disponível em: http://www.brasil.gov.br/governo/2010/01/constituicao. Acesso em 20/09/16.

RIBEIRO, Darcy. O povo brasileiro: A formação e o sentido do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2001.

Imagem 1, fonte: http://www.brasil-turismo.com/mapas/hidrovias.htm. Acesso em 15/09/16.

Imagem 2, fonte: http://www.brasil-turismo.com/rio-grande-sul/hidrografia.htm. Acesso em 20/09/16.