Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Un nuevo tiempo árabe

Jadaliyya

Crédito da imagem: outraspalavras.net
Las concentraciones en Siria no empezaron en una de las plazas de Damasco, sino que su levantamiento comenzó en la ciudad de Deraa, capital de la provincia de Haurán, para después tomar forma de un movimiento que se iba trasladando, desde Latakia, Homs, Qamishli, hasta Banyas, Damasco y Duma. El panorama sirio es diferente a aquellos de Túnez, Egipto, Bahréin, Yemen o Libia. Cada país está descubriendo por sí mismo, a través de su propia experiencia, cuál es la mejor forma para su revolución contra un gobierno autoritario. No estamos ante una revolución árabe unida que vuelve al discurso nacionalista de Abdel Nasser, sino que somos testigos de un fenómeno contemporáneo que tienen un objetivo único y necesario en todo el mundo árabe.
De nuevo, los árabes están descubriendo lo que les une y lo que les diferencia a un tiempo. Así como los árabes se unieron en el pasado para luchar contra el colonialismo, se vuelven a unir ahora para luchar en pos de la democracia. Igual que en los años 50 la lucha en contra la dominación colonial tenía unos objetivos claros, esta nueva empresa necesita de una conciencia básica de lo que significa la democracia y sus lazos con la justicia social. Ésta es una batalla abierta en muchos frentes.

Los árabes se sorprenden a sí mismos
Tenemos que reconocer que las revoluciones que se prendieron por la chispa que saltó en una pequeña ciudad tunecina y que terminaron agarrando en todos los países árabes no sólo sorprendieron al resto del mundo, sino que dejaron atónitos a los mismo árabes. De repente, cae la negra dictadura de Ben Alí, se le une el régimen de Hosni Mubarak, y mientras las manifestaciones populares van surgiendo en otros lugares.
Si bien no podemos hablar de un actor principal y causa directa de las revoluciones, podemos señalar hacia los modestos movimientos de oposición que florecieron aquí y allá, desde la corta Primavera de Damasco a principio del tercer milenio, hasta el movimiento Kifaya en Egipto, de las voces que elevaron muchos pensadores de la oposición en contra de la opresión y la dictadura en Túnez y que se conformaron como algo parecido a una modesta alternativa ante la ausencia de una oposición árabe.
Sin embargo, la revolución llegó desde donde nadie la esperaba. En medio de una especie de erial político general, estallaron las manifestaciones en las que tunecinos inventaron el llamamiento que se generalizaría en los demás países: «El pueblo quiere acabar con el régimen». De esta forma, el objetivo se definía desde el primer momento: la caída del sistema dictatorial.

Estallido es la palabra apropiada para describir lo que pasó. Una bola que la gente guardaba muy dentro de sí, un dolor latente, quiso salir para afuera producto de la falta de dignidad de sus ciudadanos, como individuos y como colectividad. Por ello, los cánticos que desgarraban las gargantas de los manifestantes en Deraa eran la mejor expresión de lo que forma el imaginario popular: «El pueblo sirio no se agacha»**.
Es una revolución en contra de los sentimientos de humillación y degradación. Las dictaduras árabes se saltaron las convenciones, violaron las prohibiciones y destruyeron cualquier posibilidad de aliviar la presión que ejercía el sentimiento de humillación sobre los ciudadanos, usando para ello la represión y la corrupción, dos factores entrelazados.

Traducido para Rebelión por Elisa Viteri
Leia mais em: Rebelión


Sony sofre maior roubo digital de dados de sua história

Hackers invadiram a rede PlayStation Network e violaram dados de mais de 77 milhões de usuários. A gigante japonesa é criticada pela demora em comunicar o roubo, que está sendo considerado um dos maiores da história.

 

Empresa está sendo cirticada pela demora em comunica

 

Foram oito dias de sigilo até que a Sony viesse a público nesta terça-feira (26/04) para revelar o maior roubo de dados desde a fundação da corporação e um dos maiores da história. A popular rede de jogos online PlayStation Network foi invadida por hackers, que conseguiram acessar ilegalmente dados de mais de 77 milhões de usuários.

A informação foi publicada no blog da empresa dirigido a usuários de videogames. Segundo a Sony, foram furtadas informações como nome, endereço, e-mail e senha de acesso ao sistema. "Embora, até agora, não haja evidência de que dados de cartões de crédito tenham sido roubados, não podemos descartar essa possibilidade", diz o post assinado pelo diretor de comunicação corporativa e mídias sociais da Sony.
A invasão na rede PlayStation Network e da plataforma multimídia Qriocity ocorreu entre 17 e 19 de abril. De imediato, a Sony interrompeu temporariamente o acesso ao sistema. Só nesta terça-feira a corporação se dirigiu aos milhares de usuários frustrados e impacientes, pedindo "compreensão e boa vontade pois estamos fazendo o necessário para resolver esses problemas o mais rápido possível e da maneira mais eficiente."
A Sony se defendeu, dizendo que "foram necessários vários dias de investigação forense" após a ação dos hackers até que a empresa percebesse que dados dos usuários haviam sido comprometidos.
No blog especializado, a marca japonesa pede que os cadastrados no sistema PlayStation Network não forneçam informações pessoais pedidas em nome da Sony por e-mail, telefone ou carta.

Leia mais em: dw-world

Grupo de Envelhecimento Ativo discute acessibilidade para o idoso

O Grupo de Envelhecimento Ativo da Santa Casa de Maceió realiza, hoje, das 14h às 16h, a palestra “Acessibilidade: armadilhas do ambiente” com o terapeuta ocupacional Clovis Falcão. Na pauta do encontro os desafios dos idosos em se locomover no ambiente doméstico, em logradouros, hospitais, centros comerciais e por toda a cidade. Os riscos ao se levantar da cama à noite ou ao acordar, no banho ou ao se vestir. Os encontros ocorrem no auditório Sizenando Nabuco, no Centro de Estudos da Santa Casa de Maceió. O local integra o complexo hospitalar da instituição, no Centro de Maceió.

INSCRIÇÕES

Os interessados devem procurar a Secretaria do Centro de Estudos Professor Lourival de Melo Mota em horário comercial levando uma lata de leite em pó ou um pacote de fralda geriátrica para adultos. As doações serão entregues à Rede Feminina de Combate ao Câncer. O participante ou seu representante precisa informar apenas o nome e o telefone de contato.

Mais informações pelo telefone (82) 2123-6037 ou 2123-6192. 

LOURES – Editora oferece livros a bibliotecas escolares do concelho



Na próxima quinta-feira, 28 de Abril, pelas 16h00, vai ter lugar na Biblioteca Municipal José Saramago, em Loures, uma cerimónia de oferta de livros da editora Gradiva a um conjunto de bibliotecas escolares do concelho de Loures.
Ao todo serão distribuídos 3390 títulos por 90 equipamentos educativos do município, entre eles 70 jardins-de-infância e escolas do 1.º Ciclo, sete escolas Secundárias e outras 13 escolas integradas e do 2.º e 3.º Ciclos.
As obras cedidas pela editora destinam-se a leitores de diversas faixas etárias e abordam os mais variados temas e assuntos, como por exemplo, as colecções “Fancy Nancy”, para os jardins-de-infância e “Mãos à Obra”, para os alunos do primeiro ciclo.

Fonte: Loures.com

Sistema Estadual de Bibliotecas Escolares recebe doação de 450 livros

As bibliotecas das escolas estaduais de educação profissional e ensino regular acabam de ganhar um reforço importante. A Estacon Engenharia S/A cedeu para o Sistema Estadual de Bibliotecas Escolares (Siebe), vinculado à Secretaria de Estado de Educação (Seduc), um acervo de 450 livros técnicos. As obras foram repassadas à rede estadual na manhã desta terça-feira (26), pelo presidente da empresa, Lutfala de Castro Bitar.

O acervo é composto por livros técnicos de diversas áreas, como Marketing, Informática, Administração, Empreendedorismo, Segurança do Trabalho, Meio Ambiente e Enfermagem. Entre as publicações, também há leituras sobre história do Brasil e da Amazônia, geografia, literatura brasileira, educação e poesia.

Os livros estão sendo catalogados pelo Siebe e, em breve, serão enviados para as bibliotecas das escolas de educação profissional e de ensino regular, localizadas na Região Metropolitana de Belém e no interior. Uma delas será a Escola Técnica Estadual Magalhães Barata, que receberá mais de 40 livros.

Para o secretário adjunto de Ensino da Seduc, Cláudio Ribeiro, a iniciativa da Estacon deverá incentivar outras empresas. “Esta doação é importante porque enriquece o acervo técnico das escolas”, disse o secretário. “Independentemente do mercado editorial, são livros que apresentam a realidade prática. São exemplares que as empresas usam para capacitar suas equipes”, observou Cláudio Ribeiro.

terça-feira, 26 de abril de 2011

Bibliotecário tem crise de loucura e agride alunos em escola de Belo Horizonte

Um bibliotecário confirmou que teve uma crise de loucura e agrediu alunos em uma escola de Belo Horizonte, em Minas Gerais. Três estudantes estavam em uma biblioteca e começaram a falar alto.

Nessa hora, o bibliotecário pegou os três alunos e tirou de dentro da sala de estudos. Com a agressão, os três ficaram com hematomas no braço e no rosto.

A diretora da escola convocou uma reunião com os pais dos alunos, mas o funcionário não compareceu. Ele está suspenso por tempo indeterminado até que o caso seja apurado. A Secretaria Estadual de Ensino informou que vai abrir um inquérito administrativo contra o funcionário.



Fonte: R7 Notícias

Projeto que espalha livros em locais públicos de Ribeirão começa hoje

Ribeirão Preto começa nesta terça-feira (26) uma campanha de incentivo a leitura. A escola Criar, em parceria com o Instituto do Livro de Ribeirão Preto e a Oficina Cultural Cândido Portinari, está lançando a 2° edição da campanha Criar Leitores.
A campanha incentiva a leitura de um modo diferente. A proposta é espalhar 200 livros de ficção de grandes escritores nacionais e internacionais em locais públicos distintos da cidade como banco de praças, rodoviária, aeroporto e shoppings. Os livros poderão ser levados sem nenhum custo. A única exigência é que eles não sejam danificados.    
O idealizador do projeto, Luiz Cláudio Jubilato, diz que o objetivo é fazer os livros circularem de um modo que a leitura seja incentivada. Os livros vão possuir um adesivo explicando o projeto. O leitor deve levar o livro para casa e, após terminar a leitura, deixar em qualquer lugar público para que outra pessoa possa encontrá-lo.

Programa Livro Vivo será lançado dia 28 no Gabinete de Leitura de RC

O programa será lançado no dia 28 (quinta-feira) às 19 horas no Gabinete de Leitura (avenida quatro entre as ruas seis e cinco, Centro)
Rio Claro  está arrecadando livros para o Programa Municipal de Incentivo à Leitura e à Cidadania. Livros de todos os gêneros podem ser entregues no Gabinete de Leitura, localizado na avenida quatro entre as ruas seis e cinco, Centro. As edições vão compor o acervo do programa Livro Vivo, que terá o primeiro ponto na quadra poliesportiva do Jardim Panorama.

O programa será lançado no dia 28 (quinta-feira) às 19 horas no Gabinete de Leitura (avenida quatro entre as ruas seis e cinco, Centro), em comemoração ao Dia do Livro e do Direito de Autor, celebrados em 23 de abril. O lançamento é aberto ao público, mas quem quiser pode levar a doação na abertura do evento.

Antes de serem colocadas à disposição, as edições receberão cuidados no Gabinete de Leitura e carimbo do Livro Vivo. A meta dos organizadores é iniciar o programa com 600 livros. No Livro Vivo, as edições poderão ser retiradas sem nenhum tipo de burocracia. Basta pegar o livro de interesse, levar para casa e devolver quando o usuário terminar de ler, sem um tempo fixo pré-determinado.

“Queremos fazer os livros circularem”, comenta o presidente da Fundação Ulysses Guimarães, Ruy Fina. “Também achamos importe que a população se coloque como agente no processo de espalhar cultura e conhecimento”, completa.

Para o secretário de Cultura de Rio Claro, Ney Fina, o programa Livro Vivo efetiva uma ação de cidadania à medida que propõe uma ação permanente em favor da comunidade. “Livros são parte fundamental da sociedade e precisam de ações constantes de valorização”, afirma. 

Fonte: JC Rio Claro

Da casa para o trabalho, do trabalho para casa: etnofotografia de itinerários urbanos de trabalhadoras do setor doméstico


Alvorada – Região Metropolitana de Porto Alegre, nome que referencia a população constituída em sua maioria por trabalhadores que acordam nas primeiras horas da manhã para trabalhar em Porto Alegre (Capital), ou seja, apesar de sua emancipação política a cidade de Alvorada (que dista aproximadamente 01h10min da capital) ainda é dependente de Porto Alegre, já que seus moradores necessitam deslocar-se até a capital para poder trabalhar, estabelecendo assim, uma relação entre cidade do trabalho e cidade dormitório. Parto do estudo das trajetórias sociais de duas mulheres, moradoras de Alvorada que trabalham como empregadas domésticas em Porto Alegre: Vera, 60 anos que é usuária da linha Passo da Figueira/Ipiranga há aproximadamente dois anos, e a utiliza de segunda a sábado. Vera embarca com o ônibus já lotado todos os dias na Parada 51, no Bairro Formosa, em Alvorada. Marion, 57 anos, é empregada doméstica há 34 anos. Utiliza a linha Passo da Figueira via Ipiranga nas terças e quintas-feiras. Segundas, quartas e sextas-feiras é usuária da linha Alvorada via Assis Brasil. Seu embarque ocorre na parada 52, Bairro Bela Vista, em Alvorada. Cenas cotidianas de deslocamento e trabalho narram, a partir de seus gestos e práticas, a rotina desse viver urbano de embarques e desembarques, de conversas e interações, de espera e de trabalho.

A exposição ficará até junho de 2011 na Galeria Olho Nú – Prédio D2 do IFCH, UFRGS – Campus do Vale – Av. Bento Gonçalves, 9500 – Porto Alegre – RS.

Araxá comemora Semana do Livro Infanto-Juvenil

Várias atividades acontecem nos bairros com a presença da Biblioteca Móvel.

 
Até o dia 29 de abril a Biblioteca Municipal Viriato Corrêa comemora a Semana do Livro Infanto- Juvenil com o tema "Histórias da Bicharada". A abertura oficial aconteceu no Pátio da Fundação Cultural Calmon Barreto (FCCB) com a apresentação da peça teatral "O Macaco Malandro", do Grupo Cenart, e a entrega dos certificados para todos os participantes do Concurso Jovens Poetas de Araxá, professores e premiação dos dez primeiros colocados.
A Biblioteca Pública estará em alguns setores da cidade nesta semana por meio da Biblioteca Móvel Embarque nas Letras, com contos de histórias da bicharada em parceria com o Núcleo de Incentivo à Leitura da Secretaria Municipal de Educação.
Também receberá a população em sua matriz, na rua Presidente Olegário Maciel, 187. Haverão duas exposições itinerantes: a Exposição Literária "É o Bicho!" - seleção de poemas infanto-juvenis de diversos autores, através da parceria com Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas; e a Exposição João Cândido - A Luta pelos Direitos Humanos - parceria com a Fundação Banco do Brasil.

Programação

Dia 26 - Biblioteca Móvel e coordenação do Núcleo de Incentivo à Leitura/SME
Atividade: contos de histórias da bicharada.
Local: estacionamento da Paróquia de Santo Antônio.
Público: escolas da região.
Dia 27 - Biblioteca Móvel e coordenação do Núcleo de Incentivo à Leitura/SME
Atividade: contos de histórias da bicharada.
Local: Oratório Nossa Senhora Auxiliadora.
Público: escolas da região.
Dia 28Biblioteca Móvel e coordenação do Núcleo de Incentivo à Leitura/SME
Atividade: contos de histórias da bicharada.
Local: ginásio poliesportivo da Escola Municipal Aziz  J. Chaer.
Público: escolas da região.
Dia 29 -  Biblioteca Móvel e coordenação do Núcleo de Incentivo à Leitura/SME
Atividade: contos de histórias da bicharada.
Local: ginásio poliesportivo da Escola Municipal Professora Leonilda Montadon (Caic).
Público: escolas da região.
Horário: 8h às 10h30 e 14h às 16h30.

Bibliotecas reúnem-se em Nisa


Realiza-se no próximo dia 28 de Abril, na Biblioteca Municipal de Nisa, o 2º Encontro “Leituras, Leitores, Educação: Redes Sociais e web2.0” que acolhe bibliotecários municipais, professores bibliotecários  e responsáveis autárquicos e pretende reforçar a cooperação e o trabalho em rede entre bibliotecas municipais e escolares.

De acordo com a Câmara Municipal de Nisa, a interacção entre as bibliotecas escolares e a biblioteca municipal assenta numa lógica de partilha de objectivos e de meios em prol da democratização do conhecimento e do aprofundamento da cultura seja ela literária, científica, tecnológica ou artística, com impacto na formação global dos alunos e no estabelecimento de redes sociais de parceria com a comunidade.
Assim, para este 2º Encontro, foram definidos como os objectivos: reflectir sobre o conceito 2.0; partilhar abordagens e experiências considerando três eixos fundamentais: ferramentas, conteúdo social e atitudes; e equacionar estratégias de implementação da biblioteca 2.0 em contexto escolar.
O encontro destina-se a directores de Escolas e Agrupamentos, educadores, professores e professores bibliotecário, bibliotecários e técnicos de bibliotecas e alunos do ensino superior, decorrendo entre as 9h30 e as 16h15 no auditório da Biblioteca Municipal de Nisa.
Programa do 2º Encontro LEITURAS, LEITORES, EDUCAÇÃO:
9h30 - Abertura do secretariado. Recepção aos participantes
10h00 - Sessão de Abertura
- Gabriela Tsukamoto, Presidente da Câmara Municipal d e Nisa
- Bento Semedo, Bibliotecário Municipal
- José Verdasca, Director Regional de Educação do Alentejo
- Direcção Geral do Livro e das Bibliotecas
- Teresa Calçada, Coordenadora Nacional da Rede de Bibliotecas Escolares.
10h30  - Bibliotecas escolares e Web social
- Carlos Pinheiro, Coordenador inter-concelhio da Rede de Bibliotecas Escolares.
11h00 - Leituras Luminosas
- Elisabete Fiel, Professora Bibliotecária do Agrupamento de Escolas de Campo Maior;
- Moderadora. Teresa Guerreiro, Professora Bibliotecária do Agrupamento de Escolas de Vila Boim.
11h00 - Debate
11h45 - Pausa café
12h00 - Literacias e aprendizagem na versão 2.0
- Maria José Amândio, Bibliotecas Municipais de Oeiras;
- Moderadora: Tânia Rico, Biblioteca Municipal de Elvas
12h30 - Debate
12h45 - Almoço
14h30 - A Biblioteca 2.0 : Um Organismo em Construção
- Luísa Alvim, Casa de Camilo – Museu e Centro de Estudos,
- Moderadora: Fátima Dias, Coordenadora Inter-concelhia da Rede de Bibliotecas Escolares.
15h00 - Debate
15h15 - Pausa café
15h30 - Blogo agora que estão a morrer … ou não? – blogues como ferramentas de apoio às tarefas de promoção da leitura
- Gaspar Matos, Biblioteca Municipal d e Sines
- Moderadora: Jacqueline Almeida, Professora Bibliotecária do Agrupamento de Escolas de Sardoal.
16h00 - Debate
16h15 - Sessão de Encerramento.

Twitter vira ferramenta para ensinar literatura



O twitter, microblog que é mania entre muitos adolescentes, virou ferramenta para ensinar. Nele só são permitidas a postagem de mensagens rápidas com no máximo 140 caracteres, que viraram modelo para um desafio proposto aos alunos: escrever microcontos.

Fonte: eBand

quarta-feira, 20 de abril de 2011

A biblioteca do 'Livreiro do Alemão'

Otávio Cesar Santiago de Souza Junior, promotor de leitura do projeto Ler é Dez Leia Favela, posa em frente ao ponto de leitura com a mala encontrada no lixo e que foi utilizada inicialmente para transportar seus livros pelo complexo da Penha, no Rio de Janeiro - Eduardo Martino/Documentography

Em mais um dia escaldante de outono carioca, Otávio Júnior sobe a íngreme Rua Nova, no Morro do Caracol, Complexo da Penha. Ágil, acostumado a circular na favela onde nasceu, há 27 anos, o negro de 1,74 metro e 60 quilos quase corre, mesmo com o peso das garrafas de refrigerante que carrega em sacolas plásticas de supermercado. O cansaço se esvai assim que ele chega ao prédio de dois andares que antes abrigava o forró da favela. Ao ver 15 crianças lendo livros e gibis, larga as sacolas, saca a câmera digital e clica a cena. "Ver essa imagem era o meu sonho", diz.
A euforia de Otávio tem motivo. É dele a ideia de criar a primeira biblioteca dos Complexos da Penha e do Alemão - área que reúne cerca de 400 mil moradores, conflagrada pelo tráfico de drogas e conhecida como uma das regiões mais violentas do Rio até novembro de 2010, quando foi ocupada.
A inauguração será no dia 23. Na última sexta-feira, quando a equipe do site de VEJA esteve no local, o clima ainda era de improviso - a placa com o nome "Barracoteca Hans Christian Andersen", uma reverência ao escritor dinamarquês, nem havia sido pendurada. Mas a promessa é que tudo esteja pronto para as comemorações, que começam nesta segunda-feira. A data não foi escolhida ao acaso. No dia do livro infantojuvenil, as portas serão abertas para as crianças da favela e o escritor Monteiro Lobato será homenageado.
O espaço, com cerca de 20 metros quadrados, é simples, mas chama atenção pelo intenso colorido de paredes, pufes, cadeirinhas e bancos. "As crianças ficam encantadas com o colorido dos livros. Por isso, quis ter um espaço também colorido, agradável. Quero que o público se sinta em casa", conta. Nas estantes, obras de autores como Lima Barreto, Clarice Lispector, Lygia Bojunga, Eça de Queiroz e Cora Coralina.
A doação do acervo de 1.200 livros e parte dos equipamentos foi do Ministério da Cultura. Inicialmente, a "barracoteca" vai funcionar como um ponto de leitura da favela. A intenção é, após três meses, iniciar o empréstimo de livros para os moradores.

Na estante, autores como Balzac, Lima Barreto, Manuel Bandeira e Eça de Queiroz

Aos poucos, conseguiu o suporte de ONGs e escolas para montar mini-bibliotecas. Depois, sentiu o gostinho do reconhecimento: ganhou 10.000 reais do programa Caldeirão do Huck, da TV Globo, em 2006, e o prêmio Faz Diferença, do Jornal O Globo, em 2008. Acabou ganhando o apelido de "Livreiro do Alemão".
Atualmente, conta com o apoio de dois mantenedores. Em 10 anos, o projeto que começou com uma mala velha já atendeu mais de 10.000 crianças. "Me desestimulavam quando eu andava para lá e para cá com minha mala. Evoluí da mala para a biblioteca móvel e agora estamos aqui, dentro dessa biblioteca", celebra Otávio, que acabou de lançar um livro contando sua trajetória - O Livreiro do Alemão (Otávio Júnior, Editora Panda Books, 79 páginas, 17 reais).
Ambicioso, ele já olha para frente. Diz que pretende montar um centro cultural na favela e dar palestras de incentivo à leitura em empresas. E que seu maior sonho é ver uma biblioteca em cada esquina. "Sou um visionário", admite. Enquanto isso, treina mediadores de leitura para, tal qual em uma prova de revezamento, passar o bastão - nesse caso, a mala vermelha. "Até agora, desenvolvi uma atividade solitária. Não dá mais. A minha proposta é formar novos livreiros do Alemão".

Fonte: VEJA

DIA DO ÍNDIO: Darcy Riebeiro, O povo brasileiro

Eu li esse livro pela 1ª vez em 2001. Um excelente livro para quem quer conhecer um pouco do Brasil e de seus índios. É o 1º de muitos da obra do antropólogo Darcy Ribeiro. O autor faz um apanhado de todo o processo que explorou o Brasil no início de sua colonização, promovendo a discussão sobre o binômio "descobrimento" X "genocídio".  Ele está à disposição aqui no Bibliotecando por aí graças ao Google Books.

Te desejo uma boa leitura nessa viagem a um país chamado Brasil, e à História de seu povo nuclear.

Crédito da imagem: Mundo de K
O povo brasileiro, leia aqui.

DIA DO ÍNDIO: Eu, Guaicaipuro Cautémoc...

Fala do índio mexicano guaicaipuro cautémoc diante de uma platéia de autoridades Européias por ocasião das comemorações dos quinhentos anos de descoberta da América:



Projeto de lei estabelece semana para resgatar a memória de Landell de Moura

Crédito da imagem: Arquivo JA. Padre cientista é pioneiro das telecomunicações
O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul, por meio de seu presidente, José Maria Rodrigues Nunes, entregou à vereadora Sofia Cavedon na última segunda-feira, 18, a Minuta do projeto de lei que institui na Capital, a “Semana Municipal Padre Landell de Moura”.
A semana comemorativa ao sesquicentenário de nascimento do inventor porto-alegrense ocorrerá entre os dias 24 e 30 de setembro, de cada ano. A prefeitura de Porto Alegre teve a iniciativa de instituir o ano de 2011 como o “Ano da Inovação Padre Landell de Moura”, com o intuito de resgatar a memória do padre cientista como pioneiro das telecomunicações e inventor do rádio.

“O pior sofrimento que pode existir é o esquecimento. Landell é um brasileiro e é um gaúcho a quem se precisa fazer justiça”, cita o radiotelegrafista Alessandro Miranda. Segundo ele, a história de Landell deveria ser abordada nos livros, pois poucos sabem sobre suas ideias e essas deveriam ser do conhecimento de todos. Assim como ele, a vereadora Sofia Cavedon, sugeriu que fossem produzidos folhetos sobre a história de vida e obra do padre Roberto Landell de Moura.
A Campanha de Adesão em Massa ao abaixo assinado eletrônico que reconhece Landell de Moura como o verdadeiro inventor do rádio se estende até o dia 30 deste mês. A campanha conta com mais de trinta entidades representativas do nosso estado, como a Prefeitura de Porto Alegre, a Agert, PUC-RS, UFRGS, Memorial Landell de Moura, ADCE, Museu do Rádio, Colégio Militar de Porto Alegre, Biblioteca Pública do Estado do Rio Grande do Sul e Corag. As adesões ao abaixo assinado eletrônico podem ser feitas no site.

“Ele conseguiu em pleno século 19 mostrar às pessoas que era possível unir ciência e fé. E que ambas podem até trabalhar juntas”, disse Alessandro Miranda que busca pessoas interessadas em debater ou trocar informações sobre a história do rádio e assuntos relacionados. O contato com o radiotelegrafista pode ser feito através do telefone (53)8103.8621 ou pelo e-mail radiotelegrafistaalessandro@yahoo.com.br.

Por Suziane Sá
 
Fonte: Jornal Agora

Deputado culpa iPad por desemprego nos EUA

Em pronunciamento no Congresso, democrata Jesse Jackson Jr. afirmou que tablet "é provavelmente responsável por eliminar milhares de empregos"

Por Macworld / EUA

Segundo deputado americano, iPad teria eliminado milhares de empregos nos EUA

O iPad está acabando com empregos nos Estados Unidos. Pelo menos é o que diz o deputado norte-americano Jesse Jackson Jr., do partido democrata, o mesmo do presidente Barack Obama. A afirmação foi feita na última semana durante pronunciamento no congresso dos EUA, sobre o orçamento do país para 2012.

Enquanto criticava a suposta falta de ação do governo norte-americano para acabar com os problemas de 13 milhões de desempregados no país, o político voltou sua atenção para o “aparelho mágico” da Apple, que ele comprou recentemente. Jackson disse que o gadget “agora é provavelmente responsável por eliminar milhares de empregos norte-americanos.”

Ao se aprofundar no tema, o deputado criticou as possíveis consequências da facilidade de se comprar livros, revistas e jornais, entre outros conteúdos, diretamente no iPad. “Por que você precisa continuar indo para livrarias? Compre um iPad e baixe seu livros, jornal, revista”, disse.

Jackson também destacou o exemplo da Chicago State University, na qual os novos alunos estão recebendo iPads no lugar de livros de papel. O deputado classificou essa ação como um esforço para chegar “a um campus sem livros de papel em quatro anos”. Depois ele lamentou o que acontecerá com os empregos nas áreas de editoração, biblioteca e lojas especializadas.

“Steve Jobs está indo muito bem. Ele criou  o iPad”, afirmou Jackson, para depois lembrar que o aparelho atualmente é fabricado na China, não ajudando os trabalhadores norte-americanos.

Mudou?
A crítica de Jackson marca uma mudança radical de opinião do político, que no mês passado propôs que o governo federal trabalhasse para colocar um iPad nas mãos de todos os estudantes dos Estados Unidos.

“Esses aparelhos estão revolucionando nosso país – e eles irão alterar fundamentalmente como educamos nossas crianças”, disse na época.

Fonte:  Macworld

Biblioteca Nacional aposta na modernização

Saurimo – A directora da Biblioteca Nacional de Angola, Maria José Ramos, informou hoje (quarta-feira), em Saurimo, Lunda Sul, que se está a desenvolver um projecto de modernização da instituição por si dirigida de modo a melhor satisfazer os interesses do público leitor.
Maria Ramos prestou esta informação à Angop, no quadro do segundo Conselho Consultivo Alargado do Ministério da Cultura, que se realiza desde segunda-feira, em Saurimo.
A primeira fase deste projecto, disse, foi desenvolvida em 2010 e consistiu fundamentalmente no diagnóstico das necessidades de formação no domínio das bibliotecas, pelo que se tem em perspectiva o desenho de um conjunto de acções, entre as quais, um curso profissional de bibliotecas para colmatar parte das dificuldades de pessoal qualificado na biblioteca.
“A formação de quadros é essencial para o desenvolvimento das instituições e, neste caso particular, das bibliotecas. Assim sendo, um dos objectivos é o reforço da capacidade técnica da instituição, pelo que precisamos capacitar os recursos humanos que trabalham nas bibliotecas”, sublinhou.
Outro assunto por ela apontado foi o facto de estar em curso o processo de aprovação do projecto de Decreto Presidencial sobre o regime da rede nacional de bibliotecas públicas, bem como o já elaborado programa da rede nacional de bibliotecas públicas, o qual define as tipologias para os edifícios das bibliotecas públicas e as características que cada um desses edifícios deverá ter.
“O regime jurídico e o programa de rede nacional de bibliotecas são fundamentais, porquanto visa dar respostas a necessidade de se ter instrumentos que regulem a organização, funcionamento e as características físicas das bibliotecas públicas”, asseverou.
Participam do Conselho Consultivo, iniciado segunda-feira, além de responsáveis do Ministério da Cultura, a governadora da Lunda Sul, Cândida Narciso, vice-governadores de algumas províncias do país, adidos culturais, autoridades religiosas e tradicionais, assim como agentes culturais.
Temas como formação de quadros, modelos culturais, dinamização cultural no exterior do país estão a ser debatidos no conselho.
 
Fonte: Angola Press

Kindle vai ganhar biblioteca virtual para empréstimo de e-books

Com a Kindle Lending Library, usuários do leitor da Amazon poderão baixar e-books de graça em mais de 11 mil bibliotecas públicas nos EUA.
A Amazon anunciou nesta quarta-feira (20/4) que até o fim do ano vai lançar sua Kindle Lending Library, um recurso que permitirá aos usuários do leitor de e-book Kindle pegar emprestado livros eletrônicos em mais de 11 mil bibliotecas dos Estados Unidos.
A Kindle Lending Library (Biblioteca Circulante Kindle, em tradução livre) tem sido construída em parceria com a distribuidora de mídia digital OverDrive e vai funcionar com todos os Kindle, incluindo os aplicativos Kindle atualmente disponíveis para diversas plataformas.
Com o recurso, os consumidores poderão tomar emprestado e-books de suas bibliotecas locais e começar a lê-los imediatamente. Se você pegar um livro Kindle uma segunda vez – ou comprar uma cópia dele na Amazon -, não perderá nenhuma nota ou marcação que tiver feito; eles permanecerão ligados a sua conta Kindle.
As políticas atuais de empréstimo da Amazon, tal como as de seus concorrentes, são limitadas – embora a culpa possa ser mais das editoras do que da loja virtual. Apenas uma fração dos livros Kindle podem ser oferecidas para empréstimo, e a maioria das editoras determinam que os donos dos livros só podem emprestá-los uma vez.
Serviços online gratuitos, como o Lendle, tornam possível emprestar livros Kindle para desconhecidos, mas tais serviços são obviamente bastante limitados pelas mesmas restrições.
A Amazon não revelou se as bibliotecas vão restringir o empréstimo a uma única cópia dos e-books por vez (como fazem com os livros em papel), embora isso seja parte do acordo atual da OverDrive com as editoras.
O anúncio também não faz menção a acordos como o que a HarperCollins fechou em fevereiro com a OverDrive, e que determina que seus e-books “expirem” após 26 empréstimos.
Outro detalhe ausente do anúncio da Amazon é a data exata de estreia do Amazon Lending Library; a empresa diz apenas que “estará disponível até o fim do ano”.
Apesar disso, o apoio da Amazon ao modelo de biblioteca é bastante significativo para o mercado de e-books, e responde a uma das maiores fraquezas do mundo dos e-books.
(Lex Friedman)
Fonte: DG NOW

Maiza quer incentivo à leitura da Bíblia em escolas

Rio:Incentivo à leitura da Bíblia nas escolas
Em requerimento ao Poder legislativo municipal, a vereadora Maiza Rio sugere o incentivo da leitura da Bíblia em todas as entidades de ensino de Fernandópolis.

Segundo a proposta de Rio, cada sala de aula deverá ter uma Bíblia para incentivo a esse tipo de leitura. Segundo a vereadora, o principio do Estado ser laico, ou seja, independente de religião, não se adequa a esse pedido.
 
“A Bíblia é universal. Todas religiões fazem uso da Bíblia” afirmou Maiza.
O requerimento segue para o Poder Executivo para apreciação.

Olimpíada de Matemática deve atingir 20 milhões de alunos

19/4/2011 14:26,  Redação, com MEC - de Brasília

Estão abertas até 3 de junho as inscrições para a 7ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (Obmep 2011). A competição teve sua primeira edição em 2005. O principal objetivo da Olimpíada, realizada pelo Instituto Nacional de Matemática Pura Aplicada (Impa) com o apoio da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM) e promovida pelo Ministério da Educação e Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT),  é propiciar a criação de um ambiente estimulante para o estudo da matemática entre alunos e professores de todo o país.

A primeira fase da edição de 2011 acontecerá em 16 de agosto e todos os alunos matriculados em escolas públicas brasileiras (municipais, estaduais e federais) podem participar. A inscrição, entretanto, deve ser feita pelas escolas. A organização da Obmep incentiva as escolas a inscrever todos os seus alunos para a primeira fase.
No ato da inscrição, as escolas devem indicar quantos alunos participarão da primeira fase, de acordo com os níveis de participação – nível 1 para estudantes de sexto e sétimo anos do ensino fundamental, nível 2 para oitavo e nono anos e nível 3 para o ensino médio.
No ano passado, participaram da Obmep 19,6 milhões de estudantes, matriculados em 44,7 mil escolas, em 99% dos municípios dos municípios brasileiros. A previsão de participação este ano é de números próximos desses.
A competição se dará em duas fases. A primeira prevê a aplicação da prova objetiva, com 20 questões, em cada escola inscrita. A correção é feita pelos professores das próprias escolas, a partir das instruções e gabaritos elaborados pela Obmep.
A segunda fase, marcada para 22 de outubro, consta de prova discursiva com seis ou oito questões e acontecerá em centros de aplicação indicados pela Obmep. Participam dessa fase apenas 5% dos alunos de cada escola, em cada nível, com melhor pontuação na primeira fase.
A Olimpíada premiará 500 estudantes com medalhas de ouro, 900 com prata e 1800 com bronze. Também serão concedidos certificados de menção honrosa a até 30 mil alunos. Os 127 professores com melhor desempenho receberão um computador portátil com programas relacionados ao ensino da matemática. Receberão computadores portáteis e material para projeção móvel as 81 melhores escolas.

IBGE: desemprego no Brasil tem leve alta em março, a 6,5%

19/4/2011 12:11,  Por Redação - do Rio de Janeiro

O desemprego é um fantasma que ainda persegue milhões de brasileiros


O desemprego em seis regiões metropolitanas do País subiu para 6,5% em março, ante 6,4% em fevereiro, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta terça-feira. Com relação ao mesmo mês do ano passado houve recuo de 1,1%. É a menor taxa de desemprego para o mês de março desde 2002.
Os desempregados somaram 1,5 milhão em março, o mesmo valor do mês anterior, e 14% a menos na comparação com o mesmo período do ano passado. A população empregada representou 53,3%, totalizando 22,3 milhões, também o mesmo valor em fevereiro e alta de 2,4% em relação a março de 2010. Na comparação mensal, a maioria das áreas de atividade manteve-se estável com relação ao número de empregados. Apenas Serviços Domésticos registrou uma elevação de 4,1%.
O rendimento médio real dos empregados atingiu R$ 1.577, o maior valor para o mês de março desde 2002 – uma alta de 0,5% sobre fevereiro e de 3,8% ante o mesmo período do ano passado. A área Indústria extrativa, de transformação e distribuição de eletricidade, gás e água foi a que mais apresentou aumento no rendimento médio real dos trabalhadores, alta de 9,3% ante o mês anterior, atingindo R$ 1.644,30.
A ocupação de Militares e funcionários públicos registrou a maior alta do rendimento médio real, 7,9% em março ante o mesmo mês em 2010. O valor chegou a R$ 2.802,90. A taxa de desemprego é medida mensalmente pelo IBGE.

segunda-feira, 18 de abril de 2011

Copa de Literatura Brasileira

A disputa tem como finalidade debater os romances brasileiros contemporâneos
Foto: Getty Images

Quando o assunto é Copa do Mundo de futebol, todo mundo se interessa. Mas e um campeonato de livros? Essa é a ideia da Copa de Literatura Brasileira, criada em 2007 por Lucas Murtinho, economista, editor externo da editora Agir e tradutor da Rocco. São 16 obras, que são escolhidas de forma "bem pouco científica" (como o próprio site do concurso diz) entre romances brasileiros atuais, que disputam o prêmio em rodadas.
A disputa ocorre anualmente, durante quatro meses. O hall de campeões conta com Música Perdida, de Luiz Antonio de Assis Brasil (2007), O Filho Eterno, de Cristovão Tezza (2008), e Flores Azuis, de Carola Saavedra (2009).
A copa funciona assim: a cada jogo, dois livros se enfrentam. O vencedor passa para a próxima etapa, e o perdedor é eliminado. Cada batalha é decidida por um jurado, que escreve uma resenha justificando o seu voto, publicada no site da Copa. Na grande final, todo o juri elege o campeão.
Murtinho confessa que a seleção de livros e de jurados é "bangunçada". Podem participar amigos, indicações de amigos ou até comentaristas de copas passadas. "Gostamos de ter um corpo bastante variado, com escritores, leitores, acadêmicos, blogueiros", diz. Já fizeram parte do júri escritores como André Sant'anna, Luiz Antonio de Assis Brasil, Nelson de Oliveira e Sérgio Rodrigues.
Em relação às publicações, é feita uma lista prévia pelos organizadores da copa de até 30 obras lançadas naquele período. A lista é apresentada aos jurados, que a discutem e votam em seus livros preferidos. Também há o cuidado de não se escolher muitos livros de uma mesma editora.
Esse ano participam obras como O Filho da Mãe, de Bernardo Carvalho, e Azul-corvo, de Adriana Lisboa, e jurados como o jovem escritor Antônio Xerxenesky e o blogueiro Bernardo Brayner.
A iniciativa foi livremente inspirada no Tournament of Books, organizado pela revista virtual americana The Morning News. Quando a Copa começou, Murtinho estava no meio de um mestrado de edição em Paris e percebeu que estava mais bem informado sobre o mercado editorial americano e francês do que o brasileiro. "Era uma forma de me forçar a saber o que estava acontecendo por aqui", lembra.
Outro objetivo da ideia é debater os romances brasileiros contemporâneos e questionar a importância dos prêmios literários, criando uma opção que o tradutor chama de "prêmio literário absurdamente arbitrário e injusto".
Apesar da honestidade dos organizadores sobre a parcialidade inevitável das rodadas, muitos autores se sentem ofendidos quando eliminados. "É compreensível, mas infelizmente muitos não entram na caixa de comentários do site", afirma o economista. É que, para o editor, os melhores momentos do campeonato acontecem quando os escritores aparecem dispostos a bater papo sobre o seu trabalho.
"Na primeiríssima Copa, teve autor que se mostrou um genuíno cavalheiro após ser eliminado na primeira rodada, e outro que transformou uma caixa de comentários em terapia de grupo", conta.
Até 2009, Murtinho organizava o projeto sozinho. Porém, em 2010, o tempo ficou curto para dar conta de tudo. "Fracassei em tentativas desajeitadas de conseguir um patrocínio para a brincadeira, e o servidor que hospedava o site sumiu do mapa, levando todas as páginas da Copa com ele", lamenta.
Era o momento de buscar outro organizador, e encontrou Lu Thomé, da Não Editora, que já desenvolvia uma proposta parecida no Rio Grande do Sul, com autores locais. Depois, juntou-se ao grupo Fernando Torres, escritor e advogado, que já tinha sido jurado da Copa em 2009. Atualmente, o trio leva adiante a Copa 2010/2011, que se encerra em 6 de junho e pode ser conferida em www.copadeliteratura.com.br.

Fonte: Terra

Pedreiro cria biblioteca sem 'burrocracia' na Zona Norte do Rio de Janeiro

A Biblioteca Comunitária Tobias Barreto de Menezes, localizada na Zona Norte do Rio de Janeiro, foi um sonho do pedreiro Evando dos Santos. Natural de Aquidabã, interior de Sergipe, Evando aprendeu a ler apenas com 18 anos, quando por curiosidade pediu ao pastor da igreja que frequentava para ensinar a ler o livro de salmos. Até então, seu único contato com livro era com leitura de cordel (poesia improvisada, cantada, vendidas em feiras e mercados do Nordeste).
"Minha paixão pelo livro surgiu sem nenhuma explicação, eu amei o livro mesmo antes de ler e poder entender", explicou o criador da biblioteca ao SRZD
Em 2009, ele foi premiado com o "Personalidade Cidadania 2009", eleição realizada pela Unesco, ABI e Folha Dirigida que homenageia pessoas e instituições que desenvolvem trabalhos e projetos sociais de grande relevância para a cidadania. "Educação é a base para tudo, mas não adianta falar de educação, sem priorizar o livro e a leitura" esclarece Evando.

Projeto de Niemeyer
A biblioteca surgiu na garagem de sua casa, e que depois teve a sede projetada por Oscar Niemeyer. O projeto teve financiamento do BNDES no valor de R$ 651 mil. Inaugurada em 2008, a Biblioteca Comunitária Tobias Barreto de Menezes funciona sem "burrocracia", ou seja, as pessoas podem ter acesso aos livros e têm total liberdade para devolverem quando e se quiserem.
O prédio é dividido em três andares, tendo o acervo com 60 mil livros localizado no primeiro andar. O local é usado para fóruns e debates, "terapias livrescas", entre outros projetos de autoria do próprio Evando, como caso o curioso "Projeto Livro na rua, poesia no meio fio, e leitura para todos" que consiste em ter os primeiros versos de poemas, poesias ou textos, pintados no meio fio das calçadas junto à referência bibliográfica, tudo com o intuito de promover a leitura aos moradores.
"Eu pintei para que pudesse alcançar mais pessoas, e assim incentivá-las a ler, pois todos os textos usados estão na biblioteca. Essa é a única rua em que a história do patrono (Engenheiro Augusto Bernachi) está pintada na calçada" explica Evando. A instituição também oferece curso de inglês, além de outros projetos culturais como o primeiro museu comunitário da Zona Norte, o "Museu Eike Batista e Julia Belesse", que tem como finalidade divulgar a beleza das obras históricas.

Resgate do Bairro
Na tentativa de resgatar a história do bairro Vila da Penha, Evando fez uma réplica de uma bica que costumava existir no Largo do Bicão, ponto central do bairro.
O monumento foi inaugurado no local, e levou também mais um projeto de Evando, uma espécie de calçada da fama com 132 autores e personalidades de todo o mundo, entre eles Barack Obama e Tobias Barreto de Menezes, que leva o nome da biblioteca.
No local foram pintadas estrelas que possuem uma frase e a referência para que o leitor possa achar o livro depois. "Quem dera que o nosso prefeito transformasse as nossas praças em calçadas literárias. Seria fantástico!", conta Evando lembrando de uma menina moradora de rua que o emocionou ao dizer que uma das frases tinha mexido bastante com ela. Entre os desejos do fundador da biblioteca está montar uma faculdade de letras, que já tem até nome: Faculdade Comunitária de Letras Machado de Assis.

Serviço
Biblioteca Comunitária Tobias Barreto de Menezes
Endereço: Rua Engenheiro Augusto Bernachi, 130, Vila da Penha - RJ
Email: bibliotecatobiasbarreto@gmail.com
Telefone: (21) 2481-5336 / 3353-2069

Fonte: SRZD

MPF e CREA assinam Termo de Cooperação sobre acessibilidade

O Ministério Público Federal, através de seu procurador-chefe, Marco Túlio Lustosa Caminha e do procurador regional dos Direitos do Cidadão, Leonardo Carvalho Cavalcante de Oliveira firmaram um Termo de Mútua Cooperação Técnica, Científica e Operacional com o Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia do Piauí- CREA, através de seu presidente, José Borges de Sousa Araújo. O Termo de Cooperação tem por objetivo comum de zelar pelo cumprimento das condições de acessibilidade às pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida e a finalidade de unir esforços, no âmbito de suas atribuições, para garantir o cumprimento das exigências contidas no Decreto Federal nº 5.296 de 02 de dezembro de 2004; de acordo com as Normas especificadas pela ABNT e da Lei nº 8.666/93.

Última Ceia aconteceu numa quarta e não numa quinta, diz estudioso inglês

Cavernas revelam o outro lado da beleza natural e cultural de Florianópolis

Na caverna próximo à Praia Mole, supostas pinturas rupestres foram encontradas
Foto:Alan Pedro / Agencia RBS

Com um facão na mão, o antropólogo Adnir Ramos desaparece dentro da mata, na região da Lagoa da Conceição, em Florianópolis. Quase meia hora depois, grita lá de dentro:

– Achei a caverna!

É uma grande pedra sobreposta a outras menores. Dentro, há pinturas brancas, com pontos, flechas e losangos. Seria uma manifestação pré-histórica, como as inscrições rupestres, ou a façanha de algum engraçadinho.

Esse é um dos mistérios. O outro é saber o número de cavernas da Ilha da Magia. Nem a prefeitura nem o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) têm um levantamento sobre o número de cavernas na Capital. O Diário Catarinense encontrou nove.

Além do fascínio que exercem sobre os aventureiros, as cavernas de Florianópolis fazem parte dos grandes cenários na ilha. No Sul, por exemplo, uma delas fica em um costão, entre o Pântano do Sul e a Lagoinha do Leste, talvez a praia mais exótica de Florianópolis.

As cavidades ainda são fontes de histórias curiosas. Na Ponta do Gravatá, conhecida como a Cabeça do Dragão, um inglês escavou o chão: procurava o túnel que daria acesso a uma esfinge de ouro. Não achou nada. No extremo-norte, uma peculiaridade: a Gruta do Rei é habitada. A reportagem não encontrou o morador do lugar, mas uma porta de madeira trancada com um cadeado enferrujado impede a entrada de visitantes no local. Nas redondezas há, inclusive, árvores de mamão e laranja.

Mas é a Gruta das Pinturas a mais intrigante, tanto que virou uma espécie de lenda urbana. Quem pesquisar sobre as cavernas de Florianópolis na internet deve chegar ao Wikipédia. O texto diz que há seis cavernas, uma delas "tem a sua localização mantida em sigilo por um professor da UFSC, já que abrigaria antigas inscrições rupestres".

Para o Iphan, as pinturas são contemporâneas. Por e-mail, o órgão informou que o arqueólogo Rossano Lopes fez uma análise no lugar em 2004. "Quanto à visita do arqueólogo, o mesmo constatou não serem pinturas antigas em conversas informais com a equipe de arqueologia da época. Hoje não existe nenhuma caverna no Estado de Santa Catarina reconhecida como patrimônio arqueológico".

Para Adnir e Keller Lucas, outro pesquisador das manifestações pré-históricas, há semelhanças dos desenhos com as inscrições rupestres. Segundo eles, só uma análise minuciosa vai acabar com o mistério. A pedido do DC, uma arqueóloga, que pediu anonimato, analisou as imagens. Disse haver indícios de a pintura ser contemporânea. Argumentou que em alguns locais a pedra estava lascada, mas a tinta permanecia por cima do estrago.

– Há várias coisas curiosas na Ilha que deveriam ser estudadas. Muitos turistas vêm até nós procurar cultura. Florianópolis não feita só praia e cerveja. Esses locais precisam ser preservados – avalia Adnir.

Leia mais em: Diário Catarinense

Hoje é Dia Internacional dos Monumentos e Sítios

Memorial do Rei Mandume em Ondjiva, província do Cunene
Luanda – Assinala-se hoje, 18 de Abril , o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, instituído em 1982 pelo Conselho Internacional de Monumentos e Sítios (ICOMS) e aprovado pela UNESCO no ano seguinte, com o objectivo de sensibilizar os Estados membros a diversificar, proteger e conservar o património cultural.
 
A efeméride é também uma oportunidade para sensibilizar o público da diversidade do património cultural e dos esforços que requerem a sua protecção e conservação. Permite igualmente expor a sua vulnerabilidade e necessidade de lhe conceder uma atenção contínua.
 
Desta forma, todos os anos é solicitado aos Estados membros da UNESCO que, neste dia, façam a promoção de actividades e de visitas gratuitas a sítios históricos, monumentos e museus.
 
Para assinalar a data, uma palestra sob o tema "A importância dos Monumentos e Sítios", realizada no dia 14, na cidade do Luena, província do Moxico, abriu o programa de actividades alusivas ao Dia Internacional dos Monumentos e Sítios.
 
Do programa elaborado pela Direcção Provincial da Cultura, constam visitas a zonas históricas de Cassamba (comuna do município dos Luchazes), Camitongo (no município do Moxico-sede), Lunhameji e Cazombo (no Alto-Zambeze).
 
A comuna de Cassamba é considerada sítio histórico, por ser a localidade que acolheu o primeiro encontro entre as chefias das Forças Armadas Angolanas (FAA) e das extintas forças militares da UNITA, que deram lugar às conversações dos Acordos de Paz definitivos em Angola.
 
Lunhameji igualmente albergou os acordos de cessar-fogo entre o MPLA-Movimento e o exército colonial português, em Outubro de 1974, dando lugar à Independência Nacional, em 1975.
 
Já a localidade de Cazombo, concretamente a lagoa de Cazombo, tem a ver com aspectos culturais da região e Camitogo, por ser um sítio onde descarrilou um dos comboios do Caminho-de-Ferro de Benguela (CFB), por acção de mina, tendo vitimado mais de 100 populares, em 1983.
 
Consta do programa uma exposição fotográfica de monumentos e sítios históricos da província, no hall da Direcção Provincial da Educação, encontros com as autoridades tradicionais, para a recolha de informações sobre monumentos históricos ainda por descobrir.
 
O programa reserva ainda a realização de um seminário de capacitação metodológica dos chefes municipais da cultura e autoridades tradicionais sobre a importância dos monumentos e sítios.
 

¿Por qué "no aprenden" los niños?

 
Advertencia

El título evoca una frase del sentido común docente en enseñanza primaria del Uruguay y requiere algunas aclaraciones. Su uso obedece a la fuerza semiótica implicada en tanto pauta simbólica que guía a los actores concretos y que es a su vez el signo de una decepción instalada en el trabajo pedagógico y en el discurso político-pedagógico neoliberal que estigmatiza a los docentes. Pero se hace necesario precisar algunas cosas, que como hemos de desarrollar un poco más en el resto del artículo, aquí apenas mencionaremos de modo introductorio. La frase sustantiva "los niños" refiere a una universalidad falsa, y remite a una también falsa asociación entre igualdad de acceso a la educación pública e igualdad de oportunidades. Los niños de las escuelas públicas -por no compararlos con los niños de los colegios privados- tienen variado origen socio-cultural y ello determina claramente variaciones en su desempeño académico. "Los niños" que "no aprenden" son aquellos cuyas condiciones familiares son más desfavorables económicamente, cuya familia tiene una estabilidad vincular baja, cuyas espectativas de logro son menores, cuyo grado de violencia familiar interna es mayor y menor la cultura escrita, es decir, los hijos de las familias desplazadas por esa exitosa estrategia burguesa de la guerra de clases que llamamos neoliberalismo o corporativismo. Y finalmente "no aprenden" es una evaluación engañosa, también instalada radicalmente en nuestro sistema educativo, y que no da cuenta de una especificación imprescindible: no aprenden todo lo esperado por los docentes y sus autoridades, en el grado y la forma esperada, de acuerdo a parámetros clasistas dominantes.
 
Ver más en: Rebelión

O campeão de leitura do Metrô

Lucas pega livros emprestado na biblioteca do Metrô instalada na Estação Santa Cecília

Suzane G. Frutuoso - Jornal da Tarde

Lucas Reis de Lima Silva, 9 anos, morador de Osasco, região metropolitana de São Paulo, diz que gosta de gastar energia. Adora as aulas de  educação física e os treinos de natação que preenchem suas tardes. Mas o título de campeão que o jovem atleta já ostenta é outro. Lucas foi o usuário (entre  o público de até 12 anos) que mais emprestou livros da biblioteca Embarque na Leitura, projeto do Metrô de São Paulo, em parceria com o Instituto Brasil  Leitor (IBL). Foram 190 obras em dois anos.
O garoto prova que a literatura ganha novos adeptos a cada dia e não está ameaçada pela internet, como alguns já chegaram a defender. Pelo contrário. Há mais  políticas públicas de incentivo à leitura justamente porque a demanda cresce. “Temos 40 mil associados, que emprestaram mais de 400 mil livros desde 2004, quando a atividade começou na Estação Paraíso”, diz Aloizio Gibson, chefe do departamento de marketing do Metrô. No acervo, mais de 17 mil publicações, desde  clássicos do vestibular até títulos mais atuais.
A estação onde Lucas escolhe as obras que vai ler é a Santa Cecília. Ele passa lá todos os dias com a mãe, a dona de casa Valéria dos Reis Silva, 41 anos,  sua incentivadora. “Para minha leitura, retiro uns dois livros por mês no metrô. Sempre tenho um na mão e explico ao meu filho o quanto se aprende. São  descobertas que ninguém nunca vai tirar dele.” Foi Lucas quem pediu a Valéria para fazer as carteirinhas de sócios. E ele mesmo percebe que a leitura lhe  trouxe benefícios. “Quando tem ditado na escola, aparecem palavras que já li nos livros e acerto tudo.”
Encontrar os livros em lugares alternativos (como metrô) ou em bibliotecas que têm investido em ambientes aconchegantes é motivador, diz a pedagoga e  psicóloga Cybele Meyer. “Antigamente, o livro estava em locais escuros e com ar nostálgico.”
O projeto Ônibus-biblioteca, da Prefeitura, também é um sucesso. São quatro veículos que percorrem regiões carentes, que não dispõem de atividades culturais,  num total de 24 roteiros. Até o fim do ano serão oito ônibus, com previsão de passar a 12 em 2012. Eles estacionam uma vez por semana no bairro. “Chegam  pessoas de todas as idades. Elas ficam fascinadas”, diz Maria Zenita Monteiro, diretora da Coordenadoria do Sistema Municipal de Bibliotecas, da Secretaria  de Cultura. O público é 55% superior aos das 55 bibliotecas municipais, com 164% mais empréstimos de livros.
Maria Zenita admite que algumas das bibliotecas perderam público nos últimos anos e que reformas são necessárias. “Os prédios são antigos, a maioria da  década de 60. Mas as melhorias estão sendo realizadas.” Outro problema é que alguns desses espaços foram construídos em áreas de pouco movimento. “Precisamos  ir atrás da população”, diz Zenita. “Mais do que fonte de informação, a leitura desperta sentimentos e traz  perspectiva.”

Fonte: ESTADÃO

Internet desperta para o prazer de ler, diz pedagoga

Suzane G. Frutuoso - Jornal da Tarde

A internet é capaz de despertar o interesse pela leitura?
Sim. Os jovens leem e escrevem muito na internet, abrindo um canal para a leitura de livros no papel. Infelizmente, as pessoas têm o hábito de querer substituir e não somar. Quando surgiu a TV, disseram que era o fim do rádio e do cinema. E com o passar do tempo o que vemos foi que a televisão é mais um recurso para o entretenimento das pessoas.

O jovem está lendo mais?
O jovem de hoje lê muito mais do que o jovem de décadas passadas. Ele iniciou o hábito com a internet de forma motivadora, sem imposição. No passado, a leitura era imposta de forma punitiva. Aquele que não soubesse falar sobre determinado clássico tiraria nota baixa. Ele era obrigado a ler os livros que o professor indicava, normalmente clássicos com linguagem erudita, se deparando com inúmeras palavras que não conhecia, gerando uma "repulsa" pela leitura em geral. Agora, o jovem lê toda a coleção do Harry Potter sem que ninguém precise mandar.
Muitas bibliotecas estão disponibilizando livros mais populares, como os de autoajuda. Isso é bom?
A pessoa que procura um livro de autoajuda está querendo se tornar uma pessoa melhor. E essa é a principal intenção do livro: acrescentar algo em sua vida e te levar à reflexão. Quem se torna leitor vai navegar em outros mares para formar sua opinião. Quem inicia a leitura pela autoajuda vai abrindo para outros focos à medida que se sentir motivada para isto.

Adultos podem começar a gostar de ler sem nunca terem esse incentivo desde cedo?
Sim. Acredito mesmo nisso e já presenciei vários exemplos de mulheres que, tendo os filhos criados e lhe sobrando mais tempo para fazer o que gosta, leem muito tentando recuperar o tempo perdido. O incentivo à leitura é válido para qualquer idade.

Quais são os benefícios para quem desenvolve o hábito de ler, tanto na vida pessoal quanto na vida profissional?
Nos livros o leitor enxerga lugares, pessoas, situações que muitas vezes não teria oportunidade de vivenciar no seu cotidiano. O hábito da leitura faz com que a pessoa passe a se expressar melhor tanto na linguagem oral quanto na escrita. Seu vocabulário aumenta e seu raciocínio é estimulado. O melhor é que todas estas mudanças são espontâneas.

Fonte: ESTADÃO

Inscrições para festivais de literatura em bibliotecas do Recife

Crédito da imagem: Blog Biblioteca Popular de Afogados

Estão abertas as inscrições para os Festivais de Literatura Infantil e Juvenil das bibliotecas dos bairros de Afogados, Zona Sul, e Casa Amarela, Zona Oeste do Recife. As escolas públicas e da rede particular de ensino podem inscrever crianças a partir dos cinco anos de idade. A ideia é tornar o hábito da leitura prazeroso e aproximar a garotada dos espaços de leitura da cidade. As festas acontecem nos dias 26 e 27 deste mês, na biblioteca de Afogados, e no dia 29, na de Casa Amarela.

A Biblioteca Popular de Afogados realiza a oitava edição da Festa do Livro e da Literatura Infantil e Juvenil de Afogados (8ª Festim), com o tema "O Planeta da Minha Vida... Leia, repense, recicle, preserve, cuide!", das 8h15 às 16h30. O evento acontece anualmente sempre no mês de Abril, em homenagem ao Dia Internacional do Livro Infantil (02), Dia Nacional do Livro Infantil e Dia de Monteiro Lobato (18) e Dia Mundial do Livro e do direito do autor (23). 

Nos dois dias de festa, a garotada será dividida por faixa etária, para melhor acomodação e desenvolvimento das atividades lúdicas e culturais. Na agenda da 8ª Festim, estão previstas atividades para a educação infantil e ensino fundamental, oficinas, momentos de lazer e feira/exposição interativa aberta à visitação.

Já na Biblioteca Popular de Casa Amarela, a segunda edição da Festa Literária Infantil e Juvenil de Casa Amarela (2ª FLIJUCA) acontece das 8h30 às 16h30 no dia 29, no auditório para as crianças de cinco e seis anos. Para as atividades com crianças maiores de sete ano, haverá um toldo na área externa da biblioteca. Bordadeiras de história, arte-educadores e grupo de teatro são as atrações do festival.  Os eventos homenageiam Monteiro Lobato e Hans Christian Andersen, escritores de literatura infantil e juvenil  nacional e mundial.

Para participar dos eventos, as escolas devem agender participação pelos telefones 3355.3130 (Biblioteca de Casa Amarela) e 3355.3122 (Biblioteca de Afogados).


Fonte: UOL

EUA: Grupos contra o livro «Crepúsculo»



O livro «Crepúsculo», de Stephenie Meyer, faz parte da lista de dez títulos que alguns grupos tentaram que fossem retirados das bibliotecas públicas dos Estados Unidos em 2010. No caso deste livro em particular, devido à violência do conteúdo.

A notícia foi avançada pela Associação Americana de Bibliotecas, que, perante esta situação, considerou que os cidadãos têm o direito a aceder a «qualquer livro».

No topo da lista dos livros mais criticados está «And Tango Makes Three», um livro infantil de Peter Parnell e Justin Richardson sobre dois pinguins macho que adoptam uma cria, uma história que acusada de promover a homossexualidade.

Fonte: A BOLA.PT