Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Feira Literária Internacional de Tocantins terá programação diversificada


Foram divulgadas nesta quinta-feira, 30, durante coletiva à imprensa realizada na sede da Seduc, todas as principais atrações, a identidade visual e o conceito desta primeira edição da Flit, a Feira Literária Internacional do Tocantins. Estão previstas centenas de atrações. A Flit usará todo o espaço da Praça dos Girassóis, onde se localizam as sedes dos poderes legislativo, judiciário e executivo do Tocantins. O local possui amplos espaços para o lazer e monumentos históricos. Cerca de 280 eventos acontecerão simultaneamente em diversos pontos da praça, com palestras, show, oficinas, debates, filmes, lançamentos de livros, exposições e apresentações artísticas.

Essas atividades acontecerão em diversos espaços, como: Salão do Livro; Estação Jovem Campeão; Estação Cordel; Estação Multicultural; Cinema; Circuito Gastronômico; Festival de Folguedos; Circo; Sebo; Parque de Diversões. A programação compreende 22 palestras nacionais, 14 nacionais, 20 atrações no espaço cordel, 9 peças teatrais (infantis, adultas e circenses), 10 shows musicais e 59 lançamentos literários regionais, 12 nacionais e 1 internacional.

Dentre os palestrantes participantes desta edição da Flit estarão Amyr Klik, Rui Castro, Guilherme Fiuza, além dos escritores internacionais Leonora Miano, da França, Carmem Ollé e Miguel Souza Tavares, de Portugal. No Espaço Cordel, participam cordelistas e repentistas como Manoel Monteiro, Mestre Azulão, Miguel Bezerra, Geraldo Amâncio e Moacir Laurentino. Entre as peças teatrais, destaca-se a “Viver em Tempos Mortos”, da atriz Fernanda Montenegro, que também dará uma palestra durante a Flit.
Na Concha Acústica, grandes shows durante todas as noites com as apresentações de Seu Jorge, Nando reis, Martinália, Régis Danese, Marina Lima, Balé Bolshoi, Chico César, Lenine, Orquestra Sinfônica de Brasília e o show regional de Maria Eugênia, Juraíldes, Braguinha e Taís Guerido.

Ainda durante a Flit, o visitante poderá conferir as exposições Amazônia, Compadre de Ogum, Rio de Machado e Visões de Emília. Uma carreta trará ainda o projeto Lona da Ciência com experimentos interativos, jogos lúdicos e planetário inflável. A Unesco fará ainda a exposição de um projeto de pesquisa sobre o Continente Africano que culminou com a coletânea “História Geral da África”, que será lançada na Feira. No dia 03 de agosto, no encerramento da Flit, quem encantará a todos são milhares de alunos, que juntos foram o Coral Mil Vozes do Tocantins. O acesso a todos os espaços é gratuito.

Estrutura
Tendas climatizadas abrigarão os estandes do Salão do Livro, composto por 55 estandes para comercialização de livros, Café Literário, lanchonetes e auditório principal, com capacidade para mil lugares. Os grandes shows musicais serão realizados na Concha Acústica, que será montada no lado norte do Palácio Araguaia, permitindo o acesso livre do público.

Homenageados
Três escritores serão homenageados pela FLIT: Marie Curie, homenageada internacional; Augusto dos Anjos, como escritor nacional; e Juarez Moreira Filho, como homenageado regional.

Editais
Durante a coletiva, foram apresentados os resultados dos editais publicados pela Seduc para aquisição de livros dos escritores tocantinenses, que teve 87 inscrições, e para aquisição de estandes para comercialização de livros, com 40 empresas selecionadas.

“Uma de nossa metas é tornar a Flit um evento auto sustentável. Nesta edição, por exemplo, conseguiremos arrecadar mais de R$ 300 mil só com a venda dos estandes de livrarias. O custo total de realização do evento, também é menor, deve girar em torno de R$ 5 milhões”, explicou o secretário de Educação, Danilo de Melo.

Festa
Os estudantes tocantinenses terão seu espaço de expressão artística garantido. O Festa – Festival de Artes Tocantinenses será promovido dentro do Espaço Jovem Campeão. A expectativa é que mais de 1.100 alunos de escolas estaduais, municipais e particulares apresentem seus talentos em cinco categorias: música, dança, artes visuais, poesia/oratória e teatro. Os participantes, que disputarão premiações, serão divididos em três categorias, sendo elas infantil (de 8 a 11 anos), juvenil (de 12 a 17 anos) e adulto (acima de 18 anos).

O festival promoverá ainda o intercâmbio e a integração cultural entre os educandos do Estado, com a participação de alunos quilombolas, indígenas e apaianos.

Formação dos servidores
Também atenta à importância da formação continuada de todos os profissionais da Educação, a Seduc oferece a todos os seus educadores e servidores, dentro da programação da Flit, a possibilidade de que eles se inscreveram em oficinas, mini-cursos, palestras e workshops, o que visa o aprimoramento cultural de todos eles.

No total, serão cerca de 230 opções de escolha para os servidores, que têm até o próximo dia 6 de julho para se inscreverem e garantirem o auxílio financeiro para a hospedagem, a alimentação e o transporte até Palmas. Após este prazo, as inscrições continuarão abertas enquanto houver disponibilidade de vagas nas atividades ofertadas. As inscrições serão todas realizadas apenas pelo site da Seduc (www.seduc.to.gov.br), e, para receber a ajuda de custo, cada educador terá de cursar, no mínimo, quatro horas/aula. A expectativa é que aproximadamente 20 mil servidores participem dos cursos.

Cheque Livro
Outro incentivo positivo é o cheque-livro que o governo vai disponibilizar aos servidores estaduais, nos valores de R$ 180 para os professores e de R$ 50 para os que atuam nos setores administrativos.

Festival Chico
O Festival Chico - 10 anos, terá sua primeira etapa realizada na Feira Literária Internacional do Tocantins (Flit), de 26 de julho a 2 de agosto, no Memorial Coluna Prestes. Além de mostra competitiva, o evento abrange mostra não-competitiva (Mostra Chiquinho), oficinas, palestras e painéis de diálogo. Para as mostras competitivas serão concedidos R$ 13 mil em prêmios aos vencedores das 10 categorias de premiação.

Parceiros da Flit
Nesta edição, a Seduc buscou parcerias com o poder público e a iniciativa privada, como forma de reduzir os gastos com a realização do evento e fazer com que aja mais dinheiro para investir na capacitação profissional de professores e servidores.

Dentre os parceiros da Flit estão a Celtins, Saneatins, Unesco, Unicef, Editora Peirópolis, África Editora, Editora Global, Editora Ática, Editora FTD, S M Editora, Balé Bolshoi, Secretaria de Cultura Goiânia, Governo do Distrito Federal, Governo do Rio de Janeiro, Banco do Brasil, Banco da Amazônia, Telefonias, Exército, Secretaria de Recursos Hídricos, Secretaria da Comunicação, Secretaria da Infraestrutura, Secretaria do Planejamento, Secretaria da Fazenda, Secretaria da Ciência e Tecnologia, Secretaria da Indústria, do Comércio e do Turismo, Unitins, Faculdade Católica, Ulbra, Universidade Federal do Tocantins, Faculdade Serra do Carmo, Redesat, Prefeitura de Palmas, Hipermercado Extra e Assaí, Tribunal de Contas do estado, Tribunal de Justiça, Procuradoria Geral, Assembleia Legislativa, Ministério Público, Embaixada da Polônia, Embaixada da França, entre outros.

A Academia Tocantinense de Letras também tem papel importante na Flit. “Pela primeira vez nós teremos espaço de destaque para os artistas e escritores tocantinenses na Flit. Antes a Academia Tocantinense de Letras não participava do processo de criação, e hoje, os escritores participantes serão remunerados, assim como os nacionais e internacionais. Uma mudança que vai transformar a vida dessas pessoas, com valorização e incentivo”, afirmou a secretária de Cultura, Kátia Rocha.

“No ano passado, o investimento em atrações de fora foi de 1 milhão e 800 mil reais, enquanto que para os artistas e escritores tocantinenses foi de apenas 200 mil. Agora invertemos essa situação, com a ajuda de parceiros, o dinheiro gasto com as atrações nacionais e internacionais será de 800 mil reais, e para as atrações regionais será de 1 milhão 260 mil reais”, frisou Danilo de Melo.

Público estimado
O principal objetivo desse evento é ampliar o acesso da população aos bens culturais, sociais e consolidar uma política de incentivo à produção literária e cultural do Tocantins. Com isso, promover a feira como parte do calendário nacional de eventos culturais e literários. O público visitante esperado está estimado em 400 mil pessoas, consolidando o evento como a maior feira literária e cultural do norte e nordeste do Brasil. (Informações da ascom/Seduc)

America's Got Talent - Team iLuminate

Gostei muito desse vídeo, vi com os alunos aqui no Laboratório de Informática da ESEF/UFRGS.

Assiste aí:

Comissão vai discutir ataques de hackers a sites do governo

A Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática decidiu realizar audiência pública para discutir os ataques de hackers a portais institucionais do governo brasileiro. A data ainda não foi marcada.
A iniciativa do debate é do deputado Sandro Alex (PPS-PR). Ele quer identificar o grau de vulnerabilidade das informações, conhecer o comprometimento desses ataques à segurança nacional e buscar melhorias nas redes de informação governamentais.
Os sites da Presidência da República, do Senado, do Exército, do Ministério do Esporte, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), da Universidade de Brasília, entre outros órgãos, foram alvo de ataque de hackers.
Segundo o Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), responsável pela segurança dos sites, esse foi o maior ataque sofrido até hoje. O órgão afirma que não houve invasão.
Serão convidados para a audiência:
- o superintendente do Serpro, Gilberto Paganotto;
- o chefe da Unidade de Repressão a Crimes Cibernéticos da Polícia Federal, Carlos Eduardo Miguel Sobral;
- o chefe do Departamento de Segurança da Informação e Comunicações do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, Raphael Mandarino Júnior;
- o diretor-executivo da Data Security, Marcelo Lau;
- o editor do site de segurança Linha Defensiva, especializado em tecnologia e segurança da informação, Altieres Rohr;
- o presidente da Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação (Assespro), Luís Mário Luchetta;
- um representante do Centro de Estudos, Respostas e Tratamento de Incidentes de Segurança no Brasil.


Respostas técnicas ajudam a aprimorar produtos e serviços

"O Sebrae aderiu ao SBRT em dezembro de 2009, por enxergar nesta ferramenta uma forma de ampliar o máximo possível o atendimento às micro e pequenas empresas, com informação técnica segura e de qualidade", explica o analista de Atendimento Individual do Sebrae Plínio Marques.

Por meio do serviço, é possível obter informações sobre capacitação e inovação tecnológica direcionadas para garantir a competitividade dos produtos, o que permite aumentar a eficiência e o padrão de qualidade, reduzir custos e agregar valor, além de incrementar a fabricação.

As perguntas vão desde simples pedidos de esclarecimento sobre melhor tipo de material ou modo de produção até temas mais complexos, como melhorias de processos e estudos de viabilidade técnico-econômica. No portal, também há como requerer endereços de fornecedores de matéria-prima e de serviços.

ECOLOGICAMENTE CORRETO

Domenico Neves Pereira, de 43 anos, um dos sócios do grupo Metaplac, fabricante de tintas e impermeabilizantes na Bahia, recorreu ao SBRT para esclarecer dúvidas sobre a matéria-prima e o processo de produção do impermeabilizante emborrachado, ecologicamente correto por ser atóxico e reciclável. "Até agora, todas as informações cedidas pelo site foram acolhidas e de bom uso em nossas experiências. Inclusive, logo no início, a orientação do SBRT foi uma das que ajudaram a definir o segmento em que iríamos atuar", garante Domenico.

A primeira produção do impermeabilizante elastomérico já começou. Segundo ele, o produto é inovador no mercado de impermeabilização porque pode ser aplicado por qualquer pessoa, em qualquer superfície. Após seco, transforma-se em uma manta emborrachada, evitando a penetração de água, absorvendo os raios ultravioletas e diminuindo a temperatura do ambiente em até 5 graus", explica.

COMO FUNCIONA

A ferramenta está disponível no portal do Sebrae. Basta clicar no ícone Serviços on-line e, em seguida, em Respostas Técnicas. Também é possível obter atendimento, acessando este site: www.sbrt.ibict.br. Após preencher o cadastro, o empreendedor tanto poderá fazer uma nova solicitação como pesquisar na íntegra, no Banco de Informação, os conteúdos já publicados sobre determinado assunto.

O Banco de Informação é composto por respostas e dossiês técnicos, em diversos segmentos de agronegócio, indústria e serviços, que podem ser acessados de imediato. O SBRT conta com 15 mil Respostas Técnicas disponíveis para consulta. Todo o serviço é gratuito e o tempo médio para recebimento de resposta é de 15 dias. O conteúdo é enviado em formato PDF para o e-mail cadastrado. O empreendedor pode fazer quantas perguntas desejar. A única recomendação é que os questionamentos sobre assuntos diferentes sejam feitos separadamente.

As regiões Sudeste e Sul são as que mais enviam questionamentos ao portal, com 48% e 14% dos acessos respectivamente. A região Centro-Oeste fica em terceiro lugar com 11% das demandas.

Metade dos estudantes brasileiros está “desconectada”

As escolas brasileiras ainda não estão equipadas com computadores

As escolas brasileiras estão entre as piores em relação ao contato dos alunos com a informática, de acordo com levantamento do Programa Internacional de Avaliação de Alunos (Pisa) para analisar a relação entre os sistemas de ensino e a tecnologia. Metade dos estudantes brasileiros está “desconectada”.

Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, o documento, elaborado com dados de 2009 pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), mostra que as escolas brasileiras não estão equipadas e o Brasil é o último em uma lista de 38 países avaliados em relação ao número de computadores por alunos na escola.

De um total de 65 países avaliados, apenas dez estão em situação pior que a do Brasil. Alunos da Romênia, Rússia e Bulgária contam com mais acesso à tecnologia que os brasileiros. No País, em média, 53% dos estudantes de 15 anos têm computadores em casa. Há dez anos, a taxa era de 23%.

Apesar do avanço, os números ainda são inferiores à média dos países ricos. Na Europa, Estados Unidos e Japão, mais de 90% dos estudantes têm computador. O acesso no Brasil é hoje equivalente ao na Europa no ano 2000.

O estudo aponta ainda a desigualdade do acesso à informática no Brasil. Entre os mais ricos, 86% têm computador e internet em casa – taxa equivalente a dos alunos de países ricos. Entre os mais pobres, apenas 15% têm as ferramentas em casa.

quarta-feira, 29 de junho de 2011

Entre bichos e livros

A Quinta da Boa Vista será palco de uma festa de crianças, jovens e adultos neste domingo, 3 de julho, promovido pelo projeto social Livro de Rua...

Livros vão fazer a festa de crianças, jovens e adultos neste domingo, 3 de julho, na Quinta da Boa Vista. Além da tradicional diversão proporcionada pelos bichos do Jardim Zoológico e o passeio pelo parque, o projeto social Livro de Rua vai oferecer aos visitantes um dia de leitura e reflexão em meio à natureza. Serão distribuídos cerca de 500 exemplares, para todas as idades e gostos. 

Haverá títulos diversificados de autores clássicos e modernos, como Dan Brown, Antonio Calado, José Saramago, Machado de Assis, Thalita Rebouças, entre muitos outros. E também um grande número de obras
infantis.

É de graça e sem burocracia. Mas os livros devem ser passados adiante depois de lidos, para que outros possam compartilhar da boa leitura, formando uma corrente do bem. Neste simples ato reside o cerne do projeto, focado no incentivo e na democratização da leitura no país. 

Todos os livros são doações feitas por pessoas que decidiram esvaziar suas estantes. Também a Superintendência do Livro e Leitura da Prefeitura do Rio doou 600 exemplares novos que serão distribuídos em diversas ações nos próximos meses. O Livro de Rua é um projeto voluntário, sem fins lucrativos, do Instituto Ciclos do Brasil, que em quatro anos já libertou cerca de oito mil livros em diversos locais como Praia de Copacabana, Central do Brasil, Vila Cruzeiro, Pavuna, Manguinhos, Festa Literária de Santa Teresa, entre outros.

Contatos: Pedro Gerolimich – presidente do Instituto Ciclos do Brasil (telefone:
86620197) e Yolanda Stein – assessora de Comunicação (telefone: 88074573)

www.livroderua.wordpress.com /ciclosdobrasil@ciclosdobrasil.org.br 


S.Bernardo recebe inscrições para contação de histórias

A Prefeitura de São Bernardo receberá inscrições até o dia 8 de julho para seleção e contratação de projetos  de contação de histórias como incentivo à leitura. Ao todo, serão contemplados 24 projetos no valor de R$ 10 mil cada, que serão desenvolvidos em 22 locais definidos pela Secretaria de Cultura, como espaços públicos, comunitários e da rede educacional.

Os selecionados deverão realizar um evento mensalmente durante um ano, com duração mínima de 40 minutos cada. Além disso, as apresentações têm que estar integradas a mais quatro horas de atividades, como desenvolvimento de cursos, palestras e oficinas de formação.

Poderão participar pessoas jurídicas com atuação comprovada na área de literatura e artes cênicas. Fica estabelecido que 50% dos projetos contemplados serão reservados aos moradores da região. Além disso, somente será possível a aprovação de um projeto para cada candidato.

Os documentos necessários para a inscrição devem ser entregues pessoalmente ou por correio na Secretaria de Cultura de São Bernardo, devendo constar currículo dos participantes e relação com no mínimo doze textos ou histórias. Além disso, 75% dos textos selecionados devem ser dirigidos para atendimento ao público infanto-juvenil e 25% aos adultos. O edital já está disponível no site da Prefeitura www.saobernardo.sp.gov.br.

O endereço da Secretaria de Cultural é Rua Bauru, 21, Baeta Neves, CEP 09751- 440.

Inicia el II Encuentro de Bibliotecas Públicas de la Región Caribe



El  II Encuentro de Bibliotecas Públicas de la Región Caribe y Primer  Encuentro Nacional de Bibliotecarios y Auxiliares de Bibliotecas, se realizará por primera vez en Cartagena desde hoy miércoles 29 de junio al viernes 1 de julio de 2011, con el ánimo de compartir conocimientos, transmitir experiencias y proponer acciones en pro de las Bibliotecas Públicas del país. 

Este encuentro tiene como objetivos principales, continuar con el proceso de formación de los bibliotecarios de acuerdo con su nivel educativo, enlazado con los planes de desarrollo cultural de la región, que permita su profesionalización y establezcan mecanismos prácticos a través de los cuales se articulen esfuerzos políticos, recursos humanos y económicos en la búsqueda de objetivos comunes para el desarrollo y ejecución de proyectos de desarrollo bibliotecario.

Desde las 2:30 p.m. del día de hoy, 29 de junio de 2011, en el Tradicional Teatro Adolfo Mejía, el Historiador Javier Ortiz Cassiani, será uno de los invitados especiales, quien dictará la conferencia inaugural, titulada "Memoria, Región y Nación”.

La Directora del Instituto de Patrimonio y Cultura de Cartagena (IPCC), Irina Junieles Acosta, desde las 5pm realizará una presentación especial, donde expondrá el proyecto Megabibliotecas para Cartagena de Indias.
El Instituto de Patrimonio y Cultura de Cartagena, ha emprendido durante el año 2011 el proyecto de construcción de dos grandes bibliotecas públicas en las localidades 1 y 3 de la ciudad. La primera de ellas en el Pie de la Popa, en un lote al costado del Complejo de Raquetas, y la segunda en el barrio Rosedal. Ambas bibliotecas son Centros Culturales con espacio para presentaciones culturales, ensayos, y por supuesto para lectura de niños, niñas y jóvenes.

El II Encuentro de Bibliotecas Públicas de la Región Caribe contará con la participación de todos los bibliotecarios y auxiliares de las bibliotecas públicas de la región Caribe y es organizado por la Red de Bibliotecas Públicas de Cartagena, el Instituto de Patrimonio y Cultura (IPCC) y ASOUNIESCA- Ministerio de Cultura.

Los asistentes a este evento, disfrutarán de charlas, conversatorios, conferencias magistrales y paneles, que les permitirán hacer parte de una estrategia de comunicación, diálogo y reflexión para establecer acciones que permitan mejorar los servicios y el trabajo articulado de las redes de bibliotecas, para convertirlas en agentes de legitimación social y en dinamizadoras del desarrollo de las comunidades.

Para la Directora del Instituto de Patrimonio y Cultura, Irina Junieles, este encuentro en Cartagena significa una muestra de confianza, del sector cultural de la región y del país, a la gestión que hacemos desde la Administración Distrital. Junieles señaló: "En los últimos tres años y medio los usuarios de las bibliotecas públicas de Cartagena de Indias, se han incrementado significativamente. Las 12 bibliotecas de la ciudad son el espacio de encuentro del sector cultural y comunitario, y el espacio de actividad cultural y lectura de las comunidades"

El II Encuentro de Bibliotecas Públicas de la Región Caribe Y Primer Encuentro Nacional de Bibliotecarios y Auxiliares de Bibliotecas, tendrá su inauguración y clausura en las instalaciones del Teatro Adolfo Mejía y cuenta con el apoyo de: Universidad Tecnológica Bolívar, Fundación Universitaria Colombo Internacional, Escuela de Gobierno, Cooperación Española, COMFENALCO Cartagena, Fundación Universitaria Tecnológico COMFENALCO, Banco de la República, Corporación Museo Histórico de Cartagena, Escuela de Gobierno y la Institución Universitaria Bellas Artes y Ciencias de Bolívar.



Mídia Dados Brasil 2011 sai com 780 páginas

O Grupo de Mídia São Paulo lançou o Mídia Dados Brasil 2011, que chega em sua 23ª edição com 780 páginas. Trata-se de um número recorde desde o seu lançamento, em 1998, na qual é possível encontrar informações completas sobre o mercado de comunicação no Brasil e em outros 10 países da América Latina.

A publicação é desenvolvida por uma comissão especial do Grupo de Mídia e conta com números, dados e análises fornecidos pelos principais líderes da mídia no Brasil. Com tiragem de 5 mil exemplares, é distribuída gratuitamente a associados do Grupo, mercado publicitário em geral, escolas de comunicação e bibliotecas públicas.

O conteúdo também estará disponível na versão digital e gratuita no portal da entidade. “Acreditamos que este material seja imprescindível, uma vez que traz informações detalhadas e importantes de todo o mercado de comunicação no Brasil”, afirma Luiz Fernando Vieira, presidente do Grupo de Mídia SP e sócio e vice-presidente de mídia da Agência Africa.

O anuário é divido em capítulos: Mercado e Demografia, Pesquisa de Mídia, TV Aberta, TV por Assinatura, Rádio, Revista, Jornal, Entretenimento, Mídia Out of Home, Mídia Digital, Custos de Mídia, América Latina e Internacional.

A publicação também pode ser encontrada gratuitamente em aplicativo para iPhone e iPad. Para esta edição, o destaque fica por conta da versão resumida do APP para iPhone, com conteúdo focado nas planilhas e nos gráficos, com busca por palavra chave.

Já para o iPad, que estará em sua segundo edição com conteúdo na íntegra, há novos recursos que facilitam o acesso à informação, com busca por palavras chaves, que mostrará todas as páginas que contenham a palavra procurada, recursos para dividir de forma rápida o conteúdo nas principais redes sociais, e armazenar trechos como favorito, para marcar uma página de preferência e acessá-la rapidamente, quando precisar.

Fonte: Adnews

Astrônomos descobrem o quasar mais distante já encontrado

A ilustração do quasar visto de perto mostra o quasar muito quente e brilhante. A luz do quasar está ionizando o gás ao redor, provocando a luz vermelha

Astrônomos europeus descobriram o quasar mais distante descoberto até o momento. A partir das observações realizadas com o telescópio de longo alcance eles captaram a luz de uma galáxia brilhante e antiga, com um enorme buraco negro no centro, uma descoberta que pode ajudar a explicar aspectos das origens do Universo.
Segundo os resultados do estudo, se trata do objeto mais luminoso descoberto até agora no Universo primordial, que é alimentado por um buraco negro que possui dois bilhões de vezes a massa do Sol. O fenômeno, chamado quasar, é formado por galáxias muito distantes e brilhantes e com um poderoso buraco negro no centro.
"Este quasar é uma evidência vital do Universo primordial. É um objeto muito raro que nos ajudará a entender como cresceram os buracos negros supermassivos em poucas centenas de milhões de anos depois do Big Bang", disse Stephen Warren, líder da equipe de astrônomos, em uma nota do ISSO. Segundo uma hipótese, os buracos negros supermaciços levariam bilhões de anos para se formar, uma vez que sugam matéria gradualmente de seu entorno.

Pesquisa sobre o fim do Discurso Individual nas Cerimônias de Formatura da UFRGS

Olá, pessoal, tudo bem? Aqui na Província, mais precisamente na UFRGS, está rolando uma pesquisa sobre a opinião dos alunos a respeito disso.
Segue abaixo o conteúdo do e-mail recebido por mim:


Presados Colegas

Os Representantes Discentes do Conselho Universitário(CONSUL) pediram vistas antes da votação para impedir a aprovação do novo protocolo do cerimonial de formatura que põe fim ao Discurso Individual nas Cerimonias de Formatura da UFRGS.

Temos que apresentar um parecer que será votado junto com o novo protocolo na próxima reunião Conselho Universitário dia 8 de julho e para isso querem saber a opinião dos alunos.

E para isso queremos saber a opinião dos alunos através do formulário on-line:
Demora menos de 1 minuto para responder.

Cleber Machado, Nicolas Romero, Renan Pretto e Mariana Armani
Equipe de Relatores

Google lança nova rede social para competir com Facebook

O Google apresentou na terça-feira seu mais ousado passo para competir com o Facebook no crescente mercado de redes sociais e manter a liderança na Internet.
A companhia, que passou por uma série de tentativas fracassadas de se lançar no mercado de redes sociais, anunciou seu projeto chamado Google+. Este é o primeiro grande anúncio neste segmento desde que o cofundador da empresa, Larry Page, assumiu como presidente-executivo em abril.
Page fez das redes sociais uma prioridade máxima do maior mecanismo de buscas na Internet, já que sua posição como principal provedor de informações pode estar comprometida, à medida que as pessoas passam mais tempo em sites como Facebook e Twitter.
- Eles tinham o luxo de fazer erros no passado com iniciativas sociais. Eles realmente não têm o luxo agora – disse Ray Valdes, analista da empresa de pesquisa Gartner, referindo-se ao Google.
O Google+, que está agora disponível para testes, é estruturado de forma notoriamente semelhante ao Facebook, com fotos de perfis e murais de notícias como itens principais.
Contudo, os amigos e contatos dos usuários estão agrupados em círculos muito específicos escolhidos por eles, ao invés da típica lista do Facebook.
Mas convencer consumidores a utilizar outra rede social não será nada fácil, disse Rory Maher, analista da Hudson Square Research.
- Eles terão desvantagem por conta dos efeitos que o Facebook tem na rede – disse, citando os 700 milhões de usuários do Facebook, segundo estimativas de empresas de pesquisas na Internet.


Inclusão digital não pode ocorrer somente onde dá lucro, diz dirigente da ANID

Para mudar a realidade de isolamento dos excluídos digitais, é preciso mudar a lógica de investir somente onde há retorno garantido para as empresas. Foi o que disse Percival Henriques, presidente da Associação Nacional para Inclusão Digital (Anid), durante audiência pública que discutiu a Inclusão Digital como Fator de Desenvolvimento Regional, realizada nesta terça-feira (28).
Segundo Percival, os governos, as operadoras e a sociedade têm de participar de um esforço coletivo. Pequenas empresas devem ter facilidades de financiamento para ofertar acesso à internet a localidades menores e mais distantes.
- O excluído digital está para a tecnologia como a mosca que bate no vidro da janela tentando sair. E a exclusão digital é silenciosa. Quem passa fome pede, faz barulho, mas para quem é excluído digitalmente, as oportunidades vão passando e ele não vê – declarou, avaliando que a privatização da telefonia teve a “lógica perversa” de concentrar a oferta nos grandes centros. 

Leia mais em: Correio do Brasil

terça-feira, 28 de junho de 2011

Salão Internacional do Livro de Foz do Iguaçu acontece entre 4 e 14 de agosto

Este ano o Salão Internacional do Livro ganha novo endereço, será na Praça das Nações. De acordo com a Fundação Cultural a feira foi tomando proporções maiores e precisou também aumentar o espaço.

A atividade é uma iniciativa da Fundação Cultural em parceria com o Instituto de Educação e Cultura. Este ano contará com a participação de grandes nomes da literatura nacional e internacional.


Segundo a coordenadora do projeto, Sueli Brandão, a ação é um incentivo à leitura. “Teremos atrações para toda a família, acadêmicos, professores e para todos que apreciam a leitura. Além de escritores e dramaturgos, vamos associar a literatura ao cinema, à música, e a outras artes”, disse.


Presenças confirmadas –
estarão presentes escritores premiados nacionalmente. Antônio Torres, Cléo Busatto, Alcione Araújo, Luiz Leprevost, Leandro Narlch e Junior do Bode já confirmaram presença no evento.

Além das livrarias que irão expor vários gêneros literários, o Salão Internacional do Livro vai oferecer palestras, oficinas literárias de música e poesia, encontro de escritores, apresentações artísticas e workshop sobre literatura de cordel.

Tanto a feira quanto as atividades culturais têm entrada gratuita e sem limite de idade.

Fonte: Click Foz

Pela desmistificação do livro

Para o controlador de vôo Wagner Oliveira Cândido e a pedagoga Maristela Melo Barroso, o projeto Leituras ao Vento é importante porque dá às crianças a liberdade na hora do acesso à leitura.
 "Queremos trazer esse espaço mais intimista e incentivar a leitura. Durante as edições do projeto vemos muitas crianças lendo para os pais e adultos que vêm conversar conosco e elogiar o projeto", diz Wagner.

Maristela diz, orgulhosa, que, após explicar que um determinado livro deveria ser devolvido para o projeto, uma pessoa respondeu que então iria comprar aquele título em uma livraria.
Para o casal, o brasileiro lê pouco, se comparado a outros países, por não existir uma política digna de incentivo à leitura. "Nós queremos desmistificar o livro, fazer com que deixe de sere visto como algo sagrado, que não se possa pegar, como muitas vezes se ensina na escola e até em casa. Visto dessa forma, o livro se torna algo chato", diz Maristela.

Wagner lembra que é interessante deixar livre para cada um buscar, querer conhecer e descobrir cada vez mais. "O livro, enquanto obra de arte, pertence ao povo e as pessoas devem se apossar disso", diz.

Wagner, Maristela e a filha de Maristela, Adah Barroso Galvão, se dizem leitores. Os três participam do Clube da Leitura da Biblioteca Central e encamparam a ideia, que cresceu, conquistou adeptos e hoje tem a participação de 15 voluntários.

Além de oferecer livros e revistas em quadrinhos, o projeto também tem o Soprando Histórias, que começou com a própria Adah na segunda edição. O Soprando Histórias traz uma pessoa, de qualquer profissão, que lê uma história para o público.
"A intenção é que se leia o livro e não se faça uma contação de história, com todas as técnicas de interpretação da contação. Queremos que a criança veja as pessoas lendo e falando a história do livro", diz Maristela.

Além de suas incursões dominicais, o projeto também será apresentado em três dias na Semana Literária do Sesc, que acontece em setembro e terá a participação dos escritores João Gilberto Noll, Affonso Romano de Sant’na, Milton Hatoum, Alice Ruiz e Fabricio Carpinejar.

UFPB dá início a publicação de revista científica

A Universidade Federal da Paraíba (UFPB), com o apoio técnico-científico do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (Ibict), lançou o primeiro volume da revista científica eletrônica Perspectivas em Gestão & Conhecimento – PG&C.

Com periodicidade semestral, a revista tem como objetivo publicar trabalhos originais e inéditos relacionados aos temas “Gestão” e “Conhecimento” sob abordagens que priorizem diálogos multidisciplinares e contribuam para o desenvolvimento de novos conhecimentos e/ou para aplicação nos diversos setores e organizações da sociedade.

A revista oferece acesso livre imediato ao seu conteúdo, seguindo o princípio de que disponibilizar gratuitamente o conhecimento científico ao público proporciona democratização mundial do conhecimento.

Interessados em submeter trabalhos para o segundo número da Perspectivas em Gestão & Conhecimento, a ser publicado no mês de dezembro de 2011, poderá obter mais informações acerca das regras para a inclusão no site da revista.

Fonte: Agência Fapesp

Acesso Livre para Inovar e Promover a Pesquisa Científica

Artigo de Hélio Kuramoto enviado ao JCEmail pelo autor.

A informação científica é crucial para o desenvolvimento das pesquisas e, estas, são essenciais para o desenvolvimento científico e tecnológico das nações e gerar novos conhecimentos que são veiculados na forma de artigos científicos, tradicionalmente publicados em revistas com revisão por pares, conhecidas como revistas científicas.

O custo de acesso às principais revistas científicas alcançou níveis insustentáveis, provocando a chamada serials crisis e, isto dificultou o acesso à informação científica. Em resposta, pesquisadores de diversas partes do mundo, preocupados com esta crise e, consequentemente com o impacto negativo no desenvolvimento das pesquisas, promoveram o movimento Open Access (OA).

OA significa acesso em linha, sem custos, imediato e permanente, a artigos em texto integral. O seu objetivo é tornar OA os cerca de 2,5 milhões de artigos publicados, anualmente, em 28 mil títulos de revistas científicas.

Uma de suas estratégias, a via Verde, recomenda aos pesquisadores que publicam em revistas acessíveis mediante assinaturas, portanto de acesso restrito, que depositem uma cópia de seus trabalhos publicados nessas revistas, em repositório institucional OA (RI). As universidades, que aderiram a essa estratégia, construíram os seus RI e adotaram mandatos OA, para garantir a alimentação dos seus RI.

Os pesquisadores, dessas universidades, puderam comprovar, por meio de estatísticas de uso emitidas pelos RI o ganho em visibilidade, uso e impacto nas suas pesquisas. E as universidades perceberam o ganho em competitividade e visibilidade face a sua posição em rankings como o Ranking Web of World Universities.

Essa estratégia promove : 1) a formação de uma cultura e de uma infraestrutura global de compartilhamento e disponibilização da informação científica OA; 2) o acesso livre à informação científica; e 3) a maximização da visibilidade, uso e impacto dos resultados das pesquisas. Estudos recentes comprovam essa maximização, indicando um incremento de 250% no número de citações a artigos da área de física depositados em repositórios OA. É essencial, porém, observar que o OA não desconsidera o importante papel das revistas científicas no fluxo da comunicação científica. Esta via não é a única estratégia proposta pelo OA, mas é a que oferece melhor relação custo/benefício e introduz importante mudança no sistema de comunicação científica. Maiores detalhes sobre OA poderão ser encontrados no meu blog.

Adotar o OA é, pois, uma questão de escolha entre apenas fornecer acesso às revistas de acesso restrito, ou fornecer acesso livre de custos e contar com mecanismos de valorização das pesquisas para maximizar a sua visibilidade, uso e impacto, sinalizando para uma clara política de inovação e desenvolovimento da ciência.
Aderir ou não às iniciativas preconizadas pelo OA? Eis a questão.

Hélio Kuramoto é pesquisador do MCT/Ibict, doutor em Ciência da Informação.

Fonte: CRB-10 (via e-mail), Jornal da Ciência

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Audiência quer garantir debate para projeto da Comissão da Verdade

Parlamentares temem a aprovação de pedido de urgência para o projeto, o que reduziria a discussão sobre o assunto. Líder do Governo afirma que não há nada decidido sobre a urgência para a proposta.

Deputados que integram a Comissão de Direitos Humanos e Minorias pretendem usar a audiência pública marcada para quarta-feira (29) para pressionar a Câmara a instalar a comissão especial para analisar o Projeto de Lei 7376/10, que institui a Comissão Nacional da Verdade.

Há o receio, por parte de alguns, que o governo pressione pela aprovação de um requerimento de urgência para a proposta, o que dispensaria a instalação da comissão e restringiria as discussões sobre mudanças no texto. Nesse caso, o presidente da Câmara, deputado Marco Maia, designaria um relator para o projeto em Plenário que apresentaria um relatório que poderia ser votado no mesmo dia. Segundo a Secretaria Geral da Mesa, a prática não é comum, mas regimentalmente possível.

"No caso de a proposta ser votada em regime de urgência, o parecer será dado na própria sessão do Plenário e votado sem o tempo necessário para fazer emendas e destaques que familiares das vítimas acham necessários, e assim corrigir aspectos considerados inadequados", alerta a deputada Luiza Erundina (PSB-SP), uma das autoras do requerimento para a realização da audiência. O deputado Luiz Couto (PT-PB) também apresentou requerimento para debater o assunto.
 
Segundo Erundina, familiares de mortos e desaparecidos políticos querem participar de audiências públicas na comissão especial para mudar o projeto, pois discordam da presença de militares na Comissão da Verdade e querem mecanismos para trazer justiça aos parentes que lutaram contra a ditadura. O projeto atual justifica a criação da comissão para “efetivar o direito à memória e à verdade histórica e promover a reconciliação nacional”.
 

Projeto de incentivo à leitura ganha sede

Desenvolvido pelo Instituto Waldemar Falcão, projeto social será instalado na antiga sede da LBA, em Aracati

Aracati Uma biblioteca é como se fosse a igreja dos livros, templo das leituras. Tem lugares de leitura que são apenas bibliotecas. Mas tem um lugar em Aracati onde a leitura vai além da pesquisa e da consulta. Lá se idealiza e realiza. Desde o ano passado, o Instituto Waldemar Falcão (IWF) desenvolve o projeto Ler e escrever: muito prazer. Leitores de todas as idades fazem teatro, publica livros, expõe gravuras, produzem filmes em curta-metragem e abordam as diversas linguagens. Agora o projeto terá um espaço próprio.

"Tudo que é importante pra gente tem um lugar de destaque. Uma foto a colocamos num portarretratos sob a estante. O livro também tem que ter um lugar importante. Não um lugar empoeirado, sombrio. Tem que ser um lugar bonito de se ver. Porque quando a criança entra nesse ambiente de leitura ela compreende como é importante ler. A Casa da Leitura vai mudar a visão de pais e filhos a cerca do ato de ler. Na casa, as crianças serão acolhidas e serão levadas a perceber o prazer do momento da leitura, tão importante como todas as coisas maravilhosas da vida", explica a professora de Ensino Fundamental, Aldalena Fiúza.

Quem conhece Aracati sabe que ali se encerra um pedaço da história do Ceará, e as que se inicia são outras, pelas palavras, literalmente, dos novos memorialistas, historiadores e dos novos estudantes das antigas escolas. O projeto Ler e Escrever: muito prazer, em quase um ano, já é sucesso entre famílias, alunos e educadores. E dentre as metas de 2011 é ter um lugar para chamar de seu. A "Casa da Leitura", como já é chamada, terá mais que livros.

"Queremos proporcionar aos nossos jovens mais que um ambiente físico para o desenvolvimento de atividades. A proposta do projeto é o de desenvolver o olhar sobre as diversas leituras que podemos fazer das coisas", afirma o coordenador do projeto, Marciano Ponciano.

A casa já nasce histórica. Será a antiga sede da Legião Brasileira de Assistência (LBA), e onde está situada traz o nome de personagens históricos: na Rua Coronel Pompeu, esquina com Rua Adolfo Caminha. O Instituto Waldemar Falcão promete fazer da "Casa da Leitura" um espaço privilegiado para o incentivo e desenvolvimento de habilidades leitoras de crianças, jovens e adultos.

Pela importância da construção, o IWF organizou uma equipe orientada pelo artista Ricardo Freitas para que detalhes significativos da arquitetura possam ser preservados e evidenciados. O projeto de restauro conta ainda com a orientação do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), por meio do Núcleo de Apoio ao Sítio Histórico de Aracati (Nasihara). A inauguração da casa está prevista para os próximos dias.

"Eles desenvolvem a leitura por prazer. Esse gosto ajuda na compreensão de até outras disciplinas, trará bons frutos", defende Soraia Holanda, mãe de Ana Raquel e João Victor, dois "leitores por prazer".

MAIS INFORMAÇÕES
Instituto Waldemar Falcão (IWF) - http://www.incentivoaleituraiwf.blogspot.com/  e marcianopon@yahoo.com.br
Telefone: (88) 3421.1481

Melquíades JúniorColaborador

São Carlos transforma punição em livros

Uma parceria inédita em São Carlos reverte em doação de livros os acordos judiciais ocorridos na Justiça Federal do município. A proposta, feita pelo Ministério Público Federal, foi aceita prontamente pela Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Educação.

Pelo acordo, firmado entre a secretária de Educação, Lourdes Moraes, e o procurador da República, Ronaldo Ruffo Bartolomazi, as sentenças judiciais que resultarem em recursos financeiros podem ser destinadas à compra de livros.

O réu tem a opção de escolher o título que deseja adquirir a partir de uma lista que o Sistema Integrado de Bibliotecas de São Carlos (SIBI) atualiza mensalmente. Para ficar em dia com a Justiça, o réu apresenta o comprovante de doação, fornecido pela Prefeitura.

“A parceria já rendeu pelo menos 60 novos livros, que estão disponíveis em algumas das 18 bibliotecas da cidade”, afirma a coordenadora do SIBI, Claudete Sacomano.

“Esta é uma iniciativa que colabora com os trabalhos de incentivo à leitura que já temos, fortalecendo o acervo das nossas bibliotecas”, complementa a secretária de Educação, Lourdes Moraes. A secretária relata ainda a visita feita pelo procurador da República às bibliotecas do município. “Ele disse que se a parceria for bem sucedida a Justiça Estadual poderá ser convidada a participar”.

II Fórum sobre Bibliotecas Públicas: inscrições abertas

Estão abertas as até dia 22 de julho as inscrições para o II fórum Sobre Bibliotecas Públicas, que a Coordenação Geral do Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas da FBNrealiza nos dias 8 e 9 de agosto em Maceió, Alagoas. O Fórum integra as atividades do XXIV Congresso Brasileiro de Biblioteconomia e Documentação e, neste ano, discute o tema “serviços de informação e mediação de leitura”. Uma série de especialistas vai discutir e trocar experiências sobre ações em comunidades, bibliotecas públicas, projetos de extensão universitária, acervos virtuais e bibliotecas itinerantes, entre outras questões.
Elisa Machado, coordenadora geral do SNBP, abrirá o primeiro dia de discussões, em mesa que trará, entre outros casos, uma análise sobre serviços de informação na Biblioteca Demonstrativa de Brasília da FBN, feita por Maria da Conceição Moreira Salles, coordenadora da BDB.
As inscrições para o Fórum devem ser feitas através do e-mail cgsnbp@bn.br, com nome completo do participante e instituição que representa. São 230 vagas e todos os inscritos receberão mensagem de confirmação do cadastro. Informações pelo telefone (21) 2210-1134. Para participar do Fórum é preciso ter inscrição no Congresso.  

domingo, 26 de junho de 2011

Bibliotecando por aí... no Twitter.

Olá, caros leitores, tudo bem?

Estamos com mais um canal disponível de disseminação da informação na web. Agora você pode encontrar-nos no Twitter: @bibliotecando_

Com o mesmo compromisso de informar sobre os universos da Leitura, Bibliotecas e algumas coisas mais sobre esse tema.

Abraços, e contamos com vocês.

Mário Sérgio Leandro

A mercantilização dos serviços públicos

Por Paulo Kliass

Vivemos duas décadas de uma espécie de tentativa permanente de desconstrução das propostas social e politicamente avançadas, que passaram a fazer parte integrante da famosa Constituição Cidadã, resultado da Assembleia Constituinte de 1988.

Ao longo dos últimos anos, o Brasil começou a se acomodar, de forma passiva, com um processo lento, mas contínuo, de transformação profunda em alguns de seus valores republicanos mais carregados de simbolismo e conteúdo. A Assembléia Constituinte de 1988 havia sido fruto de muita luta na caminhada rumo a um país mais democrático e menos desigual, onde os direitos sociais básicos passaram a estar assegurados no próprio texto da Carta Magna.

Enquanto os postulados ortodoxos do Consenso de Washington já começavam a se fazer presentes em uma série de países ao longo dos anos 80, aqui tentávamos superar o ciclo do regime militar, com a construção de uma nova ordem social, política e econômica. No entanto, o tempo foi curto. Os resultados políticos da virada ideológica que o Brasil sofreu a partir dos anos 90 passaram a comprometer seriamente as conquistas obtidas na década anterior.

A eleição de Collor e toda a seqüência política que se seguiu marcaram o início do retrocesso. Apesar do sucesso político representado pelo impeachment do Presidente acusado de corrupção, a verdade é que a orientação das mudanças rumo a uma ordem mais liberal, mais voltada para o mercado e assumidamente contra a “coisa pública” tornou-se hegemônica. Vivemos duas décadas de uma espécie de tentativa permanente de desconstrução das propostas social e politicamente avançadas, que passaram a fazer parte integrante da famosa Constituição Cidadã.

O avanço ideológico da ordem neoliberal vai se dar na direção oposta a tudo aquilo que a maioria – presente no momento das votações dirigidas por Ulysses Guimarães – tinha como projeto de Nação. Assim, pouco a pouco, tem início a operação de desmonte dos primeiros passos que haviam sido programados para a construção de um modelo inspirado nas idéias de um Estado de Bem Estar Social.

A estratégia e a pauta do retrocesso foram sofrendo alterações ao longo do tempo e dos diversos governos que se sucederam. Desde a rápida passagem de Collor, passando pelos 2 mandatos de FHC e se consolidando – de forma mais sutil – até mesmo com os 8 anos Lula. No início, as grandes medidas de privatização de boa parte das empresas estatais e desregulamentação da economia. Em paralelo, a abertura propositalmente descontrolada da economia para as importações de bens e serviços, bem como para as aplicações de natureza financeira do capital especulativo internacional. Data desse primeiro momento, também, a abertura do mercado brasileiro para aqui operarem os grandes bancos e demais instituições financeiras estrangeiras.

Em nome de uma suposta ineficiência do setor público em sua ação empreendedora, o discurso hegemônico propunha um menu amplo de opções, que iam desde a venda pura simples das instituições estatais até modelos mais sofisticados de parceria público-privada, as famosas PPPs, passando pela transferência das novas atividades para as empresas capitalistas sob a forma das concessões, permissões e licitações dirigidas. Apesar das várias alternativas, a essência do movimento era o convencimento explícito de que a ação privada era melhor para o conjunto da sociedade e que as regras de mercado levariam, sem sombra de dúvida, a uma oferta de bens e serviços de qualidade superior e preços mais adequados.

O caminho aberto para tal transformação nos levou a uma situação de extrema perversidade, em especial para as camadas da população de renda mais baixa e com menor capacidade de articulação para fazer valer suas demandas junto ao poder público. Vieram os processos de privatização das estradas, das telecomunicações, dos sistemas de geração e distribuição de energia, das empresas de saneamento, do sistema de ferrovias, das empresas de transporte público, dos aeroportos e por aí vai.

Leia mais em: Correio do Brasil

Fonte: Correio do Brasil


sábado, 25 de junho de 2011

Mostra de Cinema exibe produções de animação japonesa

A mostra de cinema “O Universo de Miyazaki | Otomo | Kon” exibe 18 longas-metragens de animação japonesa, de 28 de junho a 10 de julho, na Caixa Cultural Rio de Janeiro. Além da cinematografia de Miyazaki, a mostra se expande para as obras de Katsuhiro Otomo e Satoshi Kon, ambos também marcados pelo refinamento nas produções e temáticas fora do convencional industrial.

A mostra, realizada pela 3 Moinhos Produções, promoverá ainda um curso (de 05 a 08 de julho, de 15 às 17h) sobre a obra de Miyazaki, em quatro aulas, e uma oficina de Mangá (de 29 de junho a 01 de julho, de 15 às 17h), ambos com inscrições gratuitas.

A mostra promoverá ainda um curso sobre a obra de Miyazaki

 A oficina pretende abordar noções de desenho, espacialidade e estilo de narrativa através do desenho impresso. Os alunos produzirão os seus próprios mangás durante as aulas, ao mesmo tempo em que participarão de um estudo estético dos mangás de Myiazaki, Otomo e Kon. As inscrições para o curso e oficina são gratuitas e estão abertas no site www.ouniversodemok.com.br.
Animação Japonesa
Apesar de a animação japonesa ser sempre associada ao termo ‘anime’, tal termo hoje não se refere genericamente a qualquer animação produzida no Japão, mas a um estilo fortemente arraigado e de características marcantes, como os populares olhos grandes e a animação econômica e de movimentos expressivos.

A consolidação desse estilo veio da adaptação da arte aos prazos curtos e pequenos orçamentos das séries televisivas nipônicas. Porém, o mesmo processo industrial que criou o estilo anime também gerou insatisfações entre os artistas e correntes contrárias a essa forma de produzir. Esses “transgressores” do sistema japonês optaram pela animação de apelo autoral em longas-metragens cinematográficos para fugir da massacrante produção de séries televisivas.
A criação do Studio Ghibli, por Hayao Miyazaki e Isao Takahata, com a proposta de ser “um vento que varresse a cabeça dos artistas”, mostrou que tal forma de trabalho era possível e criou seguidores. Obras produzidas antes e depois da fundação do Studio Ghibli, como Nausica do Vale dos Ventos e Meu Vizinho Totoro abriram caminhos para o surgimento de Akira (o filme fenômeno de Katsuhiro Otomo), e para a breve e bela cinematografia de Satoshi Kon, e o seu mundo de sonhos em Paprika.

A programação completa e as sinopses dos filmes podem ser acessadas nos sites www.caixa.gov.br/caixacultural ou www.ouniversodemok.com.br.
 
SERVIÇO:
O Universo de Miyazaki | Otomo | Kon
Local: CAIXA Cultural Rio de Janeiro – Cinemas 1 e 2
Endereço: Av. Almirante Barroso, 25, Centro (Metrô: Estação Carioca)
Telefone: (21) 2544 4080
Datas: de 28 de junho a 10 de julho de 2011 (de terça-feira a domingo)
Ingressos: R$ 2,00 (Inteira) e R$ 1,00 (Meia)

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Ultiman detalles para Feria Internacional del Libro Ecuador

Escrito por Lic. Cristhian Reyes H.   
Viernes, 24 de Junio de 2011 09:25

La Feria Internacional del Libro, Expolibro 2011, abre sus puertas el próximo 8 de Julio. En el evento se realizarán más de 160 actividades. Esta cita literaria y cultural se llevará a cabo bajo el Palacio de Cristal, situado en el Malecón 2000 de Guayaquil.

La sexta edición contará con la presencia de invitados internacionales: el escritor chileno recientemente galardonado con el Premio Planeta Casa de América 2011, Antonio Skármeta quien presentará internacionalmente su obra"Los días del arcoíris", Carlos Calderón (Chile), Gonzalo Mallarino (Colombia), Hilda Leiva Ramírez (Chile), Leticia Gossdenovich Feldman (USA), Sandra López (Alemania) o  Kenneth Wishnia (USA) con su último libro "El Quinto Siervo", entre otros.

También y bajo el contexto internacional, la feria preparará un merecido homenaje póstumo al escritor argentino Ernesto Sábato quien cumple hoy, 24 de junio, 100 años. Los visitantes podrán disfrutar de lecturas y acercamientos a su libro "Sobre Héroes y Tumbas" que cumple cincuenta años de publicación y que es calificada como la obra más ambiciosa y lograda del reconocido artista literario.

La fuerza de la corriente literaria nacional nos propone y Expolibro 2011 presenta un  sinnúmero de autores ecuatorianos: Antonio Santos, Blanca Terán, Carlos Calderón Chico, Cristian Avecillas, Galo Guerrero, Guido Zambrano, Joaquín Amador, José Gordillo, José Vicente Vásconez Arroyo, Lily Pilataxi de Arenas, Luz Rosario Araujo, María de Lourdes Jaramillo, María Fernanda Guzmán, Mariana Roldós, Miguel Álava Alcivar, Ricardo de La Fuente, Roberto Wright Ycaza, Salomón Dumet Vera, Salomón Mosquera, Sebastián Pazmiño, Ubaldo Gil, Wilfrido Joel Trelles Astudillo, Dr. Medardo Mora Solórzano, Lic. Tatiana Hidrovo, Dr. Jorge Marcos, Sr. Pedro Gil Flores , Ing. SinaMondavi, Lic. Ernesto Intriago, Lic. YulianaMarcillo , Lic. Diana Zavala, Lic. Xavier Oquendo, Lic. Paúl Puma, Arq. Antonieta Palacios, Eliécer Leonidas Fajardo, Roberto Wright Ycaza, Abel Romero Castillo, Ing. Enrique Pareja Tinajero, Lcda. Rosa LalamaCampoverde, Renato Basso, Mauro Madero, Alida Vallejo López, Francisco Campos, Víctor González, Hans Bherg Martínez, Sr. Gonzalo López Cepeda, Dr. Pedro José Huerta, Eco. Enrique Rosales Ortega, Licda. Ana Julia Rugel de Hollis, Dra. Mercedes Álvarez de Hernández, Mg. Pilar Álvarez, Dra. InésAzín de Ching, Dr. Luís Padilla Guevara, Ec. Luís Vargas Cuevas, Ec. Marina Mero, Dr. José Amén Palma, Dr. Ramón Lazo Salazar, Ec. Carlos Hernández Pinto.

Interesantes propuesta para los adultos

Sandra López, periodista y escritora del libro del deportista y Campeón Olímpico Jefferson Pérez, radicada hoy en Alemania, lanzará en la feria la Exposición "A través de sus ojos" que es un documental concebido para crear conciencia y apoyo a las mujeres deportistas en el mundo, especialmente para documentar a las mujeres que hacen al deporte en Ecuador.

Así mismo la Cinemateca de la Casa de la Cultura, Núcleo del Guayas presenta la pélicula: "El Cartero de Pablo Neruda", una interesante propuesta para conocer un poco más de la vida privada del gran poeta. Un film que introducirá a la presentación de su autor Antonio Skármeta, película que recibió nominaciones Mejor Película, Mejor Director, Mejor Actor, Mejor Guión, Premio Oscar por Música Original.

El Instituto Ecuatoriano de la Propiedad Intelectual - IEPI, dictará una Conferencia sobre el acceso a la lectura para las personas con discapacidad y realizará un Foro sobre "Los derechos de autor y los mecanismos para su protección".

Por otro lado esta edición contará con la importante participación de la Universidad Laica Eloy Alfaro de Manabí (ULEAM) y más de 15 Universidades, a través de la Asamblea General de REUDE, habrá presentación de los libros editadosdurante varias nochesen la feria.

Por su parte la Universidad de Guayaquil entre una de las actividades a desarrollar presentará una Mesa Redonda: El pensamiento de Roldós, 30 años de su muerte, por la Mg. Mariana Roldós Aguilera y el Ec. José Torres Naranjo.

Música entre libros

Expolibro se llena de música internacional con la viva personalidad  de la artista Argentina Mariel Córdova  con el apoyo de Omar Producciones, que brindarán un espectacular Show de Tangos, boleros, pasillos, baladas, folclore latinoamericano y mucho más, para disfrutar en familia.

De igual manera la Clausura de Expolibro se realizará con un show de artistas nacionales de primera línea el domingo 17 de Julio, fortaleciendo la labor de los autores y su creatividad.

Recital Poético

Bajo la conducción de la Ab. Marigloria Cornejo Cousin, Expolibro contará con la intervención de tres figuras de la literatura local: Gonzalo Espinel Cedeño (poeta), Fernando Cazón Vera (poeta y periodista) y de Leticia Gossdenovich Feldman (Dra. en Filosofía, Letras y Ciencias de la Educación) en el recital poético "El amor en la poesía".

Para los Niños que nos visitan

Abriendo el marco de las actividades para los niños, el SINAB (Sistema Nacional de Bibliotecas) presentará el "Cuento Cuentos"siendo una de las  actividades tradicionales que este año espera convocar a más de 85.000 niños de escuelas públicas y privadas. El lanzamiento oficial se realizará dentro de Expolibro, el próximo 11 de julio, y contará con nueve salas individuales que prometen trasladar a un mundo lleno de magia y pasión por la lectura a través de la narración oral.

Durante feria también se llevará a cabo la premiación de los ganadores del II Concurso De Cuento Infantil, denominado "Palabras Mágicas en Mentes Creativas" que buscó impulsar la creatividad y el talento de niños entre siete y doce años, bajo la temática del año: "El Agua".

Expolibro 2011, la cita cultural literaria más importante del país espera reunir en esta sexta edición a más de 290.000 visitantes, contará con la participación de representantes de 10 países, más de 150 expositores y alrededor de 160 actividades superando en esta ocasión las expectativas como en cada año del público visitante.


Fuente: Radiosucre

Rede Municipal de Bibliotecas Públicas de Palmela



Durante os meses de Julho e Agosto, a Câmara Municipal de Palmela promove um Programa Infantil de Actividades de Verão, a decorrer na Rede Municipal de Bibliotecas Públicas do Concelho de Palmela.
Intitulado “O Combóio das Histórias”, este programa integra a realização da Hora do Conto e ateliers de expressão plástica, com o “Pintas” e o “Colas”. A autarquia propõe, assim, aos mais pequenos, uma viagem imaginária neste comboio, entre bruxas e dragões, fadas e princesas, através de contos, histórias, lengalengas, desenhos e pinturas, com muita alegria.
Mais informações através do telefone 212336638 (Biblioteca Municipal de Pinhal Novo).

JULHO
“O Comboio traz histórias”- Hora do Conto – 15h00
6 de Julho - Biblioteca de Palmela
8 de Julho – Biblioteca de Pinhal Novo
13 de Julho – Biblioteca de Quinta do Anjo
15 de Julho – Pólo de Marateca
20 de Julho – Biblioteca de Pinhal Novo
22 de Julho – Biblioteca e Palmela
27 de Julho - Biblioteca de Quinta do Anjo
29 de Julho - Biblioteca de Palmela

Expressão plástica com o “Pintas” e o “Colas” – 15h00
5 de Julho - Biblioteca de Pinhal Novo
7 de Julho - Biblioteca de Quinta do Anjo
12 de Julho - Biblioteca de Palmela
14 de Julho - Biblioteca de Pinhal Novo
19 de Julho - Biblioteca de Quinta do Anjo
21 de Julho – Pólo de Marateca
26 de Julho - Biblioteca de Palmela
28 de Julho - Biblioteca de Pinhal Novo

AGOSTO
“O Comboio traz histórias”- Hora do Conto – 15h00
3 de Agosto - Biblioteca de Pinhal Novo
5 de Agosto - Pólo de Marateca
10 de Agosto - Biblioteca de Palmela
12 de Agosto – Biblioteca de Pinhal Novo
17 de Agosto - Biblioteca de Palmela
19 de Agosto - Biblioteca de Quinta do Anjo
24 de Agosto - Biblioteca de Pinhal Novo
26 de Agosto - Biblioteca de Quinta do Anjo

Expressão plástica com o “Pintas” e o “Colas” – 15h00
2 de Agosto - Biblioteca de Quinta do Anjo
4 de Agosto - Biblioteca de Palmela
9 de Agosto - Biblioteca de Pinhal Novo
11 de Agosto - Pólo de Marateca
16 de Agosto - Biblioteca de Quinta do Anjo
18 de Agosto - Biblioteca de Pinhal Novo
23 de Agosto - Biblioteca de Palmela
25 de Agosto - Biblioteca de Palmela

O silêncio nunca é respeitado pela história

A idéia de instituir uma lei de “silêncio eterno” para certos documentos oficiais foi lançada sem muito sucesso. As verdade são, ou se tornam caixas de pandora quando as tentamos reduzir ao silêncio eterno. Um dia elas se abrem e os monstros, como os demoninhos da lenda, vem nos puxar as pernas em nossas camas. Salve-se quem puder.
 A idéia de instituir uma lei de “silêncio eterno” para certos documentos oficiais foi lançada sem muito sucesso: houve a natural grita de quase todos os setores intelectuais e é bem possível que tudo não passe de uma iniciativa abortada, antes sequer de tomar forma. Há uma incompatibilidade entre o mistério e a democracia. Não deve ser por outra razão que a Igreja Católica cultiva o autoritarismo: nada mais insondável do que a vida dos religiosos fora do confessionário. Para a literatura, no entanto, o mistério é mais que um gênero literário. É a própria razão de um livro. H. Bustos Domecq, pseudônimo do autor policial, criado por Jorge Luis Borges e Bioy Casares, parece ser uma espécie de exacerbação do que, por si, é literatura. Sabemos que no último momento Isidro Parodi – o detetive que desvenda os crimes de dentro da prisão – declinará o nome do assassino. Desfeito o silêncio.

Leia mais em: Correio do Brasil

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Marcha para Jesus vira ato contra união homoafetiva

A 19ª edição da Marcha para Jesus, uma das maiores manifestações religiosas do planeta, se transformou em um ato de afronta ao Supremo Tribunal Federal (STF) e ameaças aos políticos por parte de lideranças evangélicas. Apesar dos esforços dos organizadores para restringir o enfoque a temas religiosos, assuntos como a união civil de pessoas do mesmo sexo, homofobia e legalização da maconha acabaram dominando os discursos de alguns líderes religiosos.
"A marcha não deixa de ser um ato político", resumiu o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ), ligado a Igreja Universal do Reino de Deus. O discurso mais radical foi do pastor Silas Malafaia. Com palavreado vulgar, usando termos como "otário" e "lixo moral", Malafaia atacou duramente a decisão do STF de legalizar a união estável entre pessoas do mesmo sexo. "O STF rasgou a Constituição que, no artigo 226, parágrafo 3º, diz claramente que união estável é entre um homem do gênero masculino e uma mulher do gênero feminino. União homossexual uma vírgula", disse o pastor.

Organizadores tentaram manter foco em discurso religioso, mas manifestações políticas deram o tom do evento

Na sequência, Malafaia passou a atacar a decisão do STF de liberar as marchas da maconha no Brasil.
"Amanhã se alguém quiser fazer uma marcha em favor da pedofilia, do crack ou da cocaína vai poder fazer. Nós, em nome de Deus, dizemos não."
A multidão, estimada pela Polícia Militar em 1 milhão de pessoas - e pelos organizadores em 5 milhões - foi ao delírio e respondeu com gritos de "não, não" com os braços levantados para o céu.
Malafaia ameaçou orientar seus fiéis a não votarem em parlamentares que defendem o Projeto de Lei 122/2006, que criminaliza a homofobia no País. "Ninguém aqui vai pagar de otário, de crente, não. Se for contra a família não vai ter o nosso voto", ameaçou.
O pastor defendeu a desobediência por parte de pastores caso o PL 122 seja aprovado. "Eles querem aprovar uma lei para dizer que a Bíblia é um livro homofóbico e botar uma mordaça em nossa boca. Se aprovarem o PL 122 no mesmo dia, na mesma hora, tudo quando é pastor vai pregar contra a prática homossexual. Quero ver onde vai ter cadeia para botar tanto pastor."

Lixo moral'
Malafaia classificou como "lixo moral" as pessoas que questionam a interferência das igrejas em assuntos do governo e, embora tenha dito que não tem objetivo de instaurar um estado evangélico no Brasil, "os países mais práticos e as democracias mais evoluídas do mundo tem origem no protestantismo".
Já Crivella adotou um tom mais ameno em relação aos direitos civis dos homossexuais, mas foi duro em relação ao STF que, segundo ele, está agindo politicamente e se imiscuindo em temas que dizem respeito ao Legislativo. "O Congresso tem que se levantar contra o ativismo político do STF. Só o Congresso pode detê-los", afirmou o senador.
A contrariedade maior de Crivella é em relação ao ministro Ayres Brito. "Fui o relator do processo de aprovação do Ayres Britto no Senado e na época alguns colegas me alertaram que ele tem pretensões políticas mas não dei ouvidos. Ele foi candidato a deputado pelo PT de Sergipe e não foi eleito. Agora quer se vingar do povo sergipano e levar na mão grande", acusou. Segundo ele, o Congresso trabalha em um projeto de lei que contemple tanto os direitos civis gays quanto os dos pastores evangélicos de pregarem contra a prática homossexual. "O que não pode é querer fazer na marra. Aí desencadeia reações radicais como a que vimos agora a pouco", disse ele, em referência a Malafaia.

O apóstolo Estevam Hernandes, da Igreja Renascer, organizador da marcha, reafirmou o caráter estritamente religioso do evento e disse que manifestações como as de Malafaia e Crivela são opiniões pessoais. Apesar disso, admitiu ser contra o "casamento gay" e a liberação da maconha. Questionado por um repórter sobre o qual fator pesa mais na desagregação da família, o homossexualismo ou o crime de evasão de divisas, pelo qual foi condenado a pena de 140 dias de prisão nos EUA, o apóstolo mudou de assunto.
'A serviço de satanás'
Entre os milhares de pessoas que participaram da marcha, os temas polêmicos também foram os assuntos principais. A reportagem do iG abordou um grupo de oito jovens que veio de Cidade Adhemar para a marcha e perguntou quais as opiniões deles sobre direitos homossexuais, homofobia, aborto e legalização da maconha. Com visual moderno, estilo emo, todos disseram ser contra a união civil de pessoas do mesmo sexo, aborto e legalização das drogas e defenderam os pastores que consideram o homossexualismo uma prática pecaminosa.
"Quem defende o homossexualismo e a maconha está aqui a serviço de Satanás", disse o auxiliar de informática Natanael da Silva Santos, de 19 anos, que foi à marcha usando calça apertada, cinto de taxinhas e a tradicional franja emo. Enquanto a reportagem entrevistava os jovens, a aposentada Jovelina das Cruzes, de 68 anos, ouviu a conversa e fez uma intervenção. "Vocês estão falando sobre o que não conhecem. Meu sobrinho é gay e é um rapaz maravilhoso. Ótimo filho, muito educado, muito honesto e estudioso. Já o meu filho é machão e vive batendo na esposa, não respeita ninguém, não para no emprego."
Quando Jovelina virava as costas para continuar a marcha Natanael, que não se deu por vencido, fez uma observação. "Cuidado, tia. Se o pastor escuta a senhora falando uma coisa dessas ele não deixa mais a senhora entrar na igreja". E Jovelina respondeu. "Igreja é o que não falta por aí. Se me impedirem de ir em uma, vou em outra. Não tem problema."
Fonte: iG