Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Inscrições vão até 05 de janeiro

O escritor paraense Joaquim Amóras Castro nasceu no município de Marapanim (PA) em 1941, mas é um verdadeiro cidadão de Castanhal (PA). Jornalista, poeta, romancista e ensaísta, ele morreu em 2000 e é o autor homenageado no Prêmio de Literatura da Fundação Cultural de Castanhal (FUNCAST) com o I Edital Literário Joaquim Amóras Castro. A premiação está com inscrições abertas até 5 de janeiro de 2012.

Autor dos livros “Canto–Chão” (Poesias), em parceria com Aldenor Villar - 1977; “Muirapinima – A Ilha do Vento”; “Caminhos de Iraquara” e “Casarão de Santa Fé”, Amóras já recebeu prêmios e menções honrosas da Academia Paraense de Letras e outras instituições. “A escolha do nome do saudoso escritor Joaquim Amóras Castro, se deve à sua dedicação à produção literária no município. Tendo nascido em Marapanim, tornou-se castanhalense por adoção. E aqui, em Castanhal, produziu diversos livros, sendo premiados por diversas vezes”, justifica o superintendente da FUNCAST, Benedito Santiago.

De acordo com Santiago, o lançamento do edital atende às demandas dos escritores do município e é o resultado de uma ação de governo. “A ideia de se realizar um edital que premiasse a produção literária em Castanhal é uma proposta do Governo Municipal, e um desejo dos escritores locais. O edital fazia parte da proposta de governo do prefeito Hélio Leite, que já realiza outros importantes projetos de incentivo cultural, como o Festival de Curtas-Metragens Curta Castanhal e o Festival de Música Castanhalense – FEMUC”, explica. Ainda segundo Benedito Santiago, para 2012, há o projeto de se lançar, também, um edital para incentivo da produção teatral na cidade.

Ao todo, seis trabalhos serão premiados. Cada um no valor de cinco mil reais, totalizando 30 mil reais em premiações. Os candidatos só podem inscrever um trabalho inédito por gênero. “[Serão] premiadas as obras sem especificar um número por categoria”, ressalta Benedito.

Segundo o presidente da Academia Castanhalense de Literatura (ACL), Olavo Bahia, o prêmio literário concretiza novos horizontes para o setor. “A Academia encara essa iniciativa da FUNCAST primeiramente como um incentivo dentre tantos outros que o professor Benedito Santiago e o prefeito Helio Leite vêm proporcionando na área da cultura. Depois, como uma oportunidade do surgimento de novos valores no campo da literatura de Castanhal e do Pará”, diz. Ainda, na opinião de Bahia a possibilidade de estimular a leitura é um dos grandes méritos da premiação.

“Um concurso literário tem tudo a ver com incentivo à leitura, a maior preocupação de nossa Academia. [A escritora] Ana Maria Machado declarou certa vez que gente que diz que não gosta de ler é como se tivesse dizendo que não gosta de namorar. Talvez não tenha tido a chance de descobrir como é gostoso...”, acredita.

 
VETERANOS

Para o escritor bragantino Alfredo Garcia, um especialista em vencer editais de literatura no Pará e no Brasil, o novo edital para incentivar a produção literária paraense é mais um passo na engrenagem para fortalecer o segmento. Contudo, ele faz ponderações aos pontos que enfraquecem esses mesmos mecanismos. “Acho que esses concursos são salutares. Proporcionam aos novos talentos uma chance de testar seus escritos, se posicionar criticamente. Mas, quando premiam com a publicação de livros acabam dando um presente de grego ao autor que se vê às voltas com uma pilha de livros que não sabe como vender!”, avalia.

O autor premiado no projeto da FUNCAST terá seu trabalho publicado numa edição de 500 exemplares. Sessenta por cento das obras ficam com escritor, que se responsabiliza pela forma como irá fazê-la circular e 40% são para a entidade - porcentagem destinada à divulgação, intercâmbio cultural do projeto e doação para bibliotecas públicas.

O autor Daniel da Rocha Leite, vencedor do último Prêmio de Artes Literárias 2011 do Instituto de Artes do Pará, na categoria Conto, - além de acumular outras premiações locais e nacionais no currículo -, também aponta a distribuição e divulgação das obras dos vencedores como o caminho de desequilíbrio dos editais. “Ainda são pontos que precisamos melhorar. Entretanto, a simples possibilidade de um edital sério, aberto a todos, já é, para quem escreve - trabalha e sonha - um mundo para ser festejado”, opina.

Tanto Alfredo como Daniel recomendam para quem vai se inscrever em um edital pela primeira vez, o cuidado e atenção às propostas e seriedade das instituições incentivadoras. “Recomendo aos jovens só participarem de concursos que não cobrem taxas de inscrição! Isso [cobrar taxa] é picaretagem”, destaca Alfredo Garcia.
“Penso que um bom livro já está sendo escrito ou quase terminado antes do edital vir a lume. Acredito que o bom trabalho literário aproveita a oportunidade do edital para viver uma esperança possível de se participar com energia. Percebo que os escritores que conseguem algum êxito já vêm escrevendo os seus textos há algum tempo. A vinda do edital é somente para celebrar um trabalho que já vinha sendo elaborado antes”, completa Daniel Leite.



INSCRIÇÕES

As inscrições para o I Edital de Literatura Joaquim Amóras Castro são gratuitas e devem ser feitas de no horário de 08 às 18h, na FUNCAST. Para se inscrever, o candidato deve apresentar ficha de inscrição preenchida, com cópias do CPF, RG e comprovante de residência, já que para participar do edital, o candidato deve morar no Pará há pelo menos dois anos antes do lançamento do concurso. 

No ato da inscrição, é necessário a entrega de uma cópia original do trabalho, sem identificação, apenas com o título e gênero da obra, além de um CD, no qual deverão constar a identificação e pseudônimo do autor. O candidato deverá apresentar orçamento discriminando, detalhadamente, todos os itens de despesas necessárias à realização do projeto.

A Comissão de Seleção dos projetos será composta por cinco membros, dos quais quatro são indicados pela FUNCAST e uma pela Academia CastanhalenseACL. Os critérios de seleção dos trabalhos levam em conta: obras adequadas à linha editorial e o presente edital, contrapartida social e adequação orçamentária. Cada participante só poderá inscrever um único trabalho inédito por gênero literário.

Os selecionados têm que apresentar à FUNCAST, no prazo de 20 dias a constar da data de liberação do prêmio, a prestação de contas com os respectivos recibos e notas. O não cumprimento do projeto tornará o candidato inadimplente, que será obrigado a devolver o total do dinheiro recebida, acrescido da respectiva atualização monetária.



Informações:

E-mail: funcast@castanhal.pa.gov.br

Endereço: Rua Senador Lemos, 749 - Centro.

Fone: (91) 3711-7137

Nenhum comentário:

Postar um comentário