Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Associação dos Deficientes Físicos pede mais acessibilidade no comércio

Deficientes Físicos pedem mais acessibilidade
(foto: assessoria)

Francisco Beltrão - Um acidente de moto, em 2004, deixou Nelson Suanazzi paraplégico. Hoje ele se locomove numa cadeira de rodas, condição que lhe é um empecilho na realização de atividades cotidianas, como comprar alguma coisa em uma loja, já tendo recebido propostas para ser atendido na calçada. Segundo ele, tais dificuldades nos estabelecimentos comerciais se dão em virtude do não cumprimento da NBR 9050 da Agência Brasileira de Normas Técnicas, que estipula as medidas e ângulos de rampas e locais necessários para locomoção e deslocamento de cadeirantes e portadores de outros tipos de deficiência física.

Na manhã da última terça-feira, Nelson, que também preside a Associação dos Deficientes Físicos de Francisco Beltrão (ADFB), participou da reunião semanal da Associação Empresarial (Acefb), buscando conversas para amenizar tais dificuldades. “Nosso objetivo é que vocês olhem de maneira mais carinhosa para a acessibilidade”, disse Nelson durante a reunião com empresários. “Desde 1970 fazem leis para incluir as pessoas com deficiência e com o passar dos anos elas são aperfeiçoadas, mas não passam de leis, que dificilmente saem do papel”, completou.

Nos últimos meses a ADFB tem buscado colocar a inclusão na pauta dos debates da sociedade, seja levando o prefeito para andar numa cadeira de rodas e vendando vereadores ou com debates acerca da necessidade de adequações dos espaços. De acordo com a ADFB existem cerca de dois mil cadeirantes no município, número que parece alto em virtude de poucos serem vistos em espaços públicos, segundo Nelson, justamente pela falta de acessibilidade dos mesmos.

Durante a reunião, Nelson deixou claro o objetivo com que vinha trazer à tona tal necessidade da classe que representa: “o que nós queremos com a Acefb é uma parceria, pois se fossemos cumprir o rigor da lei teria estabelecimentos que fechariam as portas, mas precisamos conversar e ver uma maneira de resolver isso, que não é uma questão cultural nem política, mas de consciência de cada um”.
 
A reunião resultou em um novo encontro para debater melhor o tema juntamente com o Núcleo de Design, Decoração e Arquitetura, mantido pela Acefb, e os associados da ADFB. A proposta veio após a colocação do vice-presidente da Acefb e coordenador da reunião, Alexandre Pécoits, que afirmou ser esta uma maneira de buscar equalizar as dificuldades encontradas pelos deficientes físicos no município. “A ideia é fazer com que quem constrói esteja sabendo o que é preciso, pois, muitas vezes, as falhas se dão por falta de conhecimento, por isso não adianta pensar somente na decoração e no design do estabelecimento se não contemplar a facilidade de locomoção”, disse Pécoits.

A reunião da Acefb também teve na pauta a apresentação do Circuito Sesc de Corrida e Caminhada de Rua, evento que acontece no próximo dia 30 e está com inscrições abertas pelo (www.sescpr.com.br) ou nas unidades do Sesc. Os empresários também conheceram as linhas de crédito do Sicredi, apresentadas pelo gerente de Pessoa Jurídica, Tiago Risso, e nas próximas reuniões outras instituições financeiras estarão apresentando suas linhas.

Fonte: AQUI Sudoeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário