Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Gaddafi é capturado e morto; causa da morte e localização de seu corpo ainda são controversas

Ex-ditador líbio Gaddafifoi capturado e morto nesta quinta-feira, aos 69 anos

O ex-líder líbio Muammar Gaddafi morreu nesta quinta-feira depois de ser ferido na batalha que levou as forças do novo governo do país a capturarem a cidade-natal dele, Sirte, segundo o Conselho Nacional de Transição (CNT). O vice-presidente do governo provisório confirmou a morte do ditador e anunciou a liberação completa da Líbia para o prazo de “algumas horas”.

Autoridades do CNT disseram que o corpo dele estava sendo levado para local secreto por razões de segurança – segundo a TV Al Arabiya, o corpo já havia chegado à cidade de Misrata e estava em um centro comercial no bairro de Souq Tawansa. Já a TV árabe Al Jazeera informa que ele já foi colocado em uma mesquita, também em Misrata.

Uma foto que supostamente seria de Gaddafi ferido estava sendo exibida por emissoras de vários países e, segundo uma autoridade militar do governo provisório, era verdadeira. O filho caçula dele, Mo’tassim, foi capturado vivo em Sirte, de acordo com a Al Jazeera. Testemunhas ouvidas pela agência inglesa de notícias Reuters disseram tê-lo visto em uma cama, coberto de sangue, mas vivo; o outro filho, Saif al-Islam, estaria em um comboio deixando Sirte.
Gaddafi morreu logo depois de ser capturado, vítima dos ferimentos que sofreu no combate, oito meses após o início da rebelião que acabou com seu regime.

A morte dele é o mais dramático acontecimento individual da chamada Primavera Árabe, a onda de rebeliões que também derrubou os governos da Tunísia e do Egito, e que ameaça os regimes da Síria e do Iêmen.

-Ele também foi ferido na cabeça-, disse à Reuters Abdel Majid Mlegta, funcionário do CNT (governo provisório). “Havia um forte tiroteio contra o seu grupo e ele morreu.”
Mlegta havia dito anteriormente que Gaddafi havia sido capturado com ferimentos em ambas as pernas na madrugada desta quinta-feira, quando tentava fugir em um comboio que foi atacado por aviões da Otan. Acrescentou que o ex-dirigente havia sido retirado de ambulância.

Não houve confirmação independente dessas versões.
Um combatente do novo governo disse que Gaddafi, de 69 anos, foi achado em um buraco no chão, e disse “Não atirem, não atirem” aos homens que o agarraram.

A captura dele ocorreu poucos minutos depois da queda de Sirte, que era o último reduto significativo de resistência das forças gaddafistas. Agora, o CNT poderá iniciar a tarefa de instaurar um regime democrático, conforme os novos líderes haviam prometido fazer assim que tivessem o controle de todo o território líbio.
Gaddafi tinha contra si um mandado de prisão do Tribunal Penal Internacional, pela acusação de ordenar a morte de civis. Ele foi derrubado em 23 de agosto, após 42 anos de governo autoritário no país petrolífero do norte da África.

Combatentes do CNT hastearam a bandeira vermelha, verde e preta da nova Líbia sobre um grande edifício em um bairro recém-conquistado de Sirte, e vários soldados davam tiros para o alto, celebrando o fato num clima de alívio e euforia.
Centenas de soldados do CNT sitiavam havia várias semanas a cidade costeira, numa caótica luta que resultou em muitos mortos de ambas as partes.

Combatentes do CNT disseram que havia muitos cadáveres dentro dos últimos redutos gaddafistas, mas não foi possível verificar isso de forma independente.

Tomada de Sirte

- Sirte foi liberada. Não há mais forças de Gaddafi-, disse o coronel Yunus al Abdali, chefe de operações na parte leste da cidade, antes da captura de Gaddafi. “Agora estamos perseguindo seus combatentes que estão tentando fugir.”

Na madrugada, a Reuters viu veículos do CNT entrando no Bairro Dois, última parte de Sirte sob controle dos gaddafistas, e também outros veículos partindo em alta velocidade para o oeste. Dois prisioneiros gaddafistas, com aspecto deprimido, foram obrigados a desfilarem por uma rua, escoltados por dois combatentes do CNT.

Era possível escutar disparos vindos da zona oeste da cidade.
Centenas de soldados do CNT passaram semanas sitiando a cidade mediterrânea, numa caótica luta que deixou muitos mortos e feridos de ambos os lados.

As forças do CNT disseram haver um grande número de cadáveres dentro dos últimos redutos da resistência, mas não foi possível verificar imediatamente essa afirmação.

Milhares de civis já haviam fugido de Sirte, que agora está praticamente em ruínas devido à chuva de foguetes, tiros e balas de canhão que a atingiu nas últimas semanas.
Na época de Gaddafi, a cidade tinha cerca de 75 mil habitantes e havia se tornado uma espécie de segunda capital da Líbia, recebendo frequentes eventos internacionais.

Um comentário:

  1. Característica sombria essa desses novos tempos negros em que vivemos: os tiranos não são mais julgados; e sim, executados. Sadam Hussein ainda foi julgado e condenado à forca, se não estou enganado. Mas Bin Laden e Gaddafi não tiveram essa possibilidade, pois ambos forma executados, em minha opinião. Onde estão os julgamentos por crimes de guerra como os de Nuremberg? Até onde eu sei, havia um mandato de prisão à Gaddafi pelo Tribunal Penal Internacional, o que não fora respeitado.
    Que tempos são esses? Me atrevo a dizer que vivemos a Era das Execuções...

    ResponderExcluir