Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Cientistas da informação

Encarregados de cuidar e de organizar informações, os bibliotecários têm atuação ampla que vai além do trabalho com livros




De origem grega, a raiz do nome biblioteconomia, “biblos”, significa livros. Pensar no profissional da área, o bibliotecário, normalmente vem à mente uma pessoa que, na biblioteca, é o responsável por organizar o acervo. Segundo a integrante do Conselho Federal de Biblioteconomia, Sandra Cabral, a origem da palavra pode restringir, para que não conhece, a atuação desses profissionais.


Os bibliotecários trabalham na seleção de conteúdo, vocabulário controlado e indexação de conteúdos, destaca. “É possível atuar em jornais, editoras, como arquitetos de informação na Internet, em hospitais, com a bibliotecoterapia, usando a leitura como tratamento”, diz.

Bibliotecária há 34 anos, Sandra afirma que, apesar de não serem profissionais valorizados no País, a atuação do bibliotecário é solicitada por empresas de variados setores, sendo uma atividade multidisciplinar. “Em todo o mundo, 20% das informações estão estruturadas, ou seja, arrumadas. Mas 80% não têm estruturas e estão dando sopa por aí”, afirma Sandra.

Com a Lei 12.244 de 2010, que obriga que as instituições públicas e privadas de ensino tenham bibliotecas e, pelo menos, um bibliotecário, em dez anos haverá uma necessidade de 178 mil profissionais, destaca Sandra. Daqui para lá, segundo ela, 30% dos profissionais de hoje devem estar aposentados.
A dica dela para quem está entrando no mercado é investir nos conhecimentos em informática, nas novas tecnologias e redes sociais. É preciso ter um bom conhecimento em inglês e procurar estar atualizado diariamente, com leitura de jornais e revistas.
 
Novo mercado
Formada pela Universidade Federal do Ceará (UFC) há 29 anos, Efigênia Fontenele é bibliotecária no Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). Desde que ela começou a atuar na área, as exigências no mercado foram mudando e a fizeram buscar dois cursos de especialização.
Hoje, a participação nas inovações da empresa são constantes. “Dentre os projetos, temos o de desenvolvimento industrial. Nele, existem várias etapas como o de busca de anterioridade”, afirma Efigênia. Segundo ela, o trabalho do bibliotecário, nesse caso, é de buscas em bases de dados de patentes para ajudar no desenvolvimento de produtos diferentes dos que já existem.

Saiba mais

Salários
Os profissionais de biblioteconomia recebem salários de, pelo menos, R$1.500, segundo Sandra Cabral, do Conselho Federal de Biblioteconomia. Porém, os valores variam de acordo com a empresa. Quem trabalha em escritórios jurídicos, recebem, geralmente, remuneração mais alta.. Em São Paulo, é possível encontrar bibliotecários ganhando até R$ 16 mil. Em Fortaleza, o valor pode ficar por volta de R$ 9 mil nesses casos.

EM BAIXA


CONTRATAÇÃO
Apesar da lei que exige um bibliotecário em cada escola, ela ainda não é cumprida. Além disso, algumas empresas contratam estagiários da área, mas não possuem o profissional.
EM ALTA


NECESSIDADE
Quase todas as áreas necessitam de um profissional de biblioteconomia para otimizar buscas de informação. Para regulamentar os profissionais da área, o Ceará conta com conselho e associação.
BATE-PRONTO


O POVO - Como você entrou na área?
Rita - Eu cursava História e trabalhava. Tive que começar a organizar o material para facilitar o meu trabalho fazendo indexação e percebi que podia descobrir mais sobre isso. Então, entrei no curso de Biblioteconomia.
O POVO - Em que áreas um bibliotecário pode atuar?
Rita - Lidamos com editoração de livros, catalogação e arquivos. Somos profissionais da informação e devemos desmistificar essa visão de que trabalhamos apenas com livros. Hoje, trabalhamos com diversas mídias como arquivos de TV, arquitetura da informação na Internet, redes sociais. Dizem que tudo está na Internet, no Google, mas se não for organizado de forma eficiente, com palavras e termos chaves, não é possível encontrar.


O POVO - Qual a dica para quem está começando?
Rita - Quem já está na faculdade deve procurar estágio para ter experiência. Deve-se também conhecer softwares. É importante a pessoa ver a vocação do mercado para poder saber onde atuar.

Rita de Cássia Farias, 48 anos, bibliotecária há 24.



Formação
"A Universidade Federal do Ceará, câmpus de Fortaleza e do Cariri, oferece curso superior".

Gabriela Ramos
gabrielaramos@opovo.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário