Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Viegas recusa encerramento de bibliotecas públicas


O secretário de Estado da Cultura, Francisco José Viegas, comprometeu-se hoje a não permitir o encerramento de bibliotecas da rede nacional pública, apesar da crise financeira actual, considerando que tal seria uma "derrota insuportável" para o país.
"Temos consciência de que não estamos em condições de investir em grandes equipamentos, mas nenhuma das bibliotecas actuais poderá fechar portas. Isso seria uma derrota insuportável e um retrocesso civilizacional", afirmou Francisco José Viegas no 13.º encontro da Rede Nacional de Bibliotecas Públicas, que decorre até sábado no Centro de Congressos do Estoril, em Cascais. 

O secretário de Estado prometeu ainda "tentar recuperar o tempo perdido" e admitiu que é preciso alterar os protocolos estabelecidos entre a administração central e o poder local.
"Os municípios não podem deixar de investir nas bibliotecas. Boa parte deles cumpre um serviço notável que não podemos deixar de valorizar", sustentou.

Apesar da crise, que "impede investimentos necessários", Francisco José Viegas defendeu que o papel das bibliotecas públicas precisa ser reforçado e, segundo disse, isso passa pela adaptação aos novos tempos, nomeadamente à plataforma digital.

"Todos nós sabemos que é necessário procurar novos caminhos e novas formas de cativar as gerações perdidas, ou ainda não encontradas, de leitores. Precisam de estar preparadas para os novos tempos, para uma nova geração mais exigente, para as plataformas digitais", frisou.

Perante o desafio, o director geral do Livro e das Bibliotecas, José Manuel Cortês, afirmou que já está a ser feito um esforço de adaptação muito grande ao mundo digital.
Além da evolução tecnológica, o responsável apontou ainda as acentuadas assimetrias regionais, verificadas nos últimos anos, como um factor que dificulta a integração das bibliotecas nas comunidades.

"Estas situações têm preocupado de forma crítica os agentes promotores da leitura, obrigando a estratégias diversificadas para captação de leitores. São precisas soluções organizativas a nível regional para as dinâmicas demográficas", afirmou José Manuel Cortês.

O 13º encontro da Rede Nacional de Bibliotecas Públicas visa debater o cenário actual das bibliotecas e discutir opções de futuro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário