Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

"Hacker é bandido", diz diretor de Segurança da Informação da Presidência

Raphael Mandarino discorda de ministro da Ciência e Tecnologia, e diz que Governo deve ser auxiliado por especialistas formados, não por comunidade hacker.


“Eu continuo com a minha posição: hacker é bandido”. A polêmica declaração é do diretor do Departamento de Segurança da Informação e Comunicações (DSIC) do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, Raphael Mandarino. 

A afirmação, divulgada em vídeo publicada pelo site Convergência Digital, foi feita na última sexta-feira (12/08), no Rio de Janeiro, durante o evento de segurança digital Seginfo 2011, e serviu como resposta ao ministro de Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, que, em junho, disse que o Governo poderia procurar a comunidade hacker em busca de ajuda na segurança cibernética do País. 

“Têm especialistas em segurança muito bem formados no Brasil que podem, sim, ajudar. Já um menino, sem a supervisão dos pais, que tem banda larga e pega script para ficar incomodando os outros... não sei se é uma boa atividade”, afirmou.

Mandarino também comentou o polêmico projeto de Lei de Eduardo Azeredo (84/99), que tipifica os crimes cometidos pela Internet. Disse que nesta quarta-feira (17/08), o Governo o discutirá em seminário. De duas, uma: “Ou apoiará o projeto, com algumas retiradas de excessos, ou fará um substitutivo”. No primeiro caso, a aprovação fica mais próxima; no segundo, a tramitação será mais lenta, pois novos acordos entre lideranças terão de ser costurados.

Mês passado, um abaixo-assinado com cerca de 160 mil nomes contrários à Lei foi entregue pelo deputado federal Emiliano José (PT-BA), ao deputado federal Eduardo Azeredo (PSDB-MG), seu relator – daí vem o nome. O projeto vem enfrentando resistência de muitos internautas, que o consideram rigoroso demais.

Fonte: Idig Now

Nenhum comentário:

Postar um comentário