Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Viajando nas letras

A Academia Cearense de Letras abre amanhã o ciclo de conferências Literatura e Viagem, abordando a relação dos grandes escritores com diversos espaços visitados

Ednilo Soares, atual presidente da Academia Cearense de Letras, e o escritor Pedro Paulo Montenegro (KLÉBER A. GONÇALVES )


Um bom livro é capaz de fazer o leitor sair do seu espaço físico e temporal por uns instantes e viajar e tempos para lugares inimagináveis. Seguindo o percurso das letras, é possível visitar cidades e países do outro lado, voltar no tempo ou ver como vai ser o futuro, ser os mais diversos personagens. Até mesmo criar uma nova realidade, um povo, uma nação e uma história é possível.

Pegando essa qualidade mágica, própria da literatura, a mais importante instituição literária do Estado, a Academia Cearense de Letras (ACL), dá início amanhã (23) ao seu 11º ciclo de conferências, este ano intitulado Literatura e Viagem. Até o mês de novembro, serão 24 encontros com grandes nomes da literatura cearense para discutir a relação dos livros e seus escritores com lugares imaginados, visitados ou não. De que forma os autores absorvem as diferentes culturas por onde passam. Os encontros acontecem às terças e quintas, às 17 horas, na sede da Academia, no Palácio da Luz (Centro). As inscrições são gratuitas e os participantes que assistirem 80% das palestras recebem diploma.

 
A abertura acontece com a palestra O sonho do celta de Vargas Llosa: uma travessia por três continentes, com a romancista, ensaísta e poetisa fortalezense Angela Gutiérrez. Próxima quinta-feira (25), Pedro Paulo Montenegro, professor, jurista e jornalista de Quixadá, fala sobre o segundo livro mais vendido do mundo (depois da bíblia sagrada) em Viagens à Espanha de Dom Quixote. “Como eu gosto muito da Espanha, vou fazer um passeio pelo cenário histórico do Cervantes (séculos XVI e XVII) mostrando como estava a Europa naquela época”. Dia 10 de novembro, Pedro volta para fazer uma Viagem à obra de Lima Barreto: O homem e o escritor. No encontro, ele revela detalhes sobre a vida do escritor carioca, nascido escravo, que viveu entre problemas com o alcoolismo e internações psiquiátricas causadas pela depressão, até morrer aos 41 anos.
 
“Esses debates são um meio de divulgar a literatura do nosso estado e os trabalhos realizados pela ACL”, explica o escritor e educador Ednilo Soares, um dos imortais da instituição, assim como Pedro Paulo. “Costumo dizer que o cearense, é, antes de tudo, um literato. São muitos livros publicados mensalmente. Sem dúvidas, são muitos escritores bons. E acabou aquele complexo de vira-lata que só vê qualidade nos que vêm de fora”, aponta Ednilo.
 
Ele acrescenta ainda que o ciclo de conferências é importante não só pra conhecer mais sobre a literatura como também para fazer uma visita às dependências da Academia. Fundada em 15 de agosto de 1894, três anos antes da Academia Brasileira de Letras, a ACL funciona num casarão construído no século XIX que abriga outras 14 entidades. Entre elas a Academia Fortalezense de Letras, Academia Cearense da Língua Portuguesa e a Academia Feminina de Letras. Sem fins lucrativos, a entidade realiza também projetos de incentivos à leitura, como a Academia dos Estudantes, que já funciona nos colégios Maria Ester, Dáulia Bringel e 7 de Setembro, e recebe diariamente visitantes e pesquisadores para consultas na biblioteca. Para Ednilo Soares, o incentivo a leitura é, sem dúvidas, o maior trabalho da academia. “Quem lê tem sempre o conselho de um sábio. O livro é o professor mais paciente. Não há raiva que não passe com duas horas de leitura”.
 
LITERATURA E VIAGEM
 
O que: ciclo de conferências literárias promovidos pela ACL.
Quando: às terças e quintas, de 23 de agosto a 22 de novembro. Às 17 horas.
Onde: Academia Cearense de Letras (Rua do Rosário, nº 1 – Centro)

Quanto: aberto ao público. Inscrições na ACL
Outras informações: 3253.4275 ou 3253.0489.

Veja programação completa no www.opovo.com.br



Nenhum comentário:

Postar um comentário