Ocorreu um erro neste gadget

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Cartilha ensinará acessibilidade


A falta de acessibilidade nas calçadas ariquemenses pode estar com os dias contados. Essa é a promessa do secretário de Planejamento, Marcelo Santos, ao anunciar uma cartilha que ensina a população o modo correto de se construir uma calçada. Marcelo explica que a equipe da fiscalização urbana vai notificar as pessoas que estiverem construindo o calçamento fora do padrão. “Essa é uma medida que vai ajudar que as novas calçadas respeitem a acessibilidade e o que informa o Código de Postura do município”, argumenta.
 
O grande desafio do projeto “Calçada Cidadã” é fazer com que o calçamento antigo seja adequado às novas regras. Ainda não há previsão de multas, mas esse procedimento não foi descartado pelo secretário. As cartilhas podem ser adquiridas gratuitamente no centro administrativo municipal Dr. Carpintero ou através do portal da prefeitura na internet (www.ariquemes.ro.gov.br).
 
Uma simples caminhada pelas ruas de Ariquemes pode ser mais difícil do que parece, por causa da falta de padronização das calçadas. O pedestre também precisa dividir o espaço com automóveis, motocicletas, entulhos de construção e as mesas de estabelecimentos comerciais. Os idosos estão entre os grupos que mais sofrem com a falta de padronização das calçadas.

EXCLUSIVO

Todo esse malabarismo é necessário para se manter no local destinado, com exclusividade, para o deslocamento dos pedestres. Aposentado, Twitterman Bromstrup, diz que é mais fácil andar na rua do que nas calçadas. “Mas tem o perigo, que é maior também, né. O problema é que a gente não tem o que fazer, tem calçada que obriga você a descer para o asfalto”, lembra o aposentado.

Obstáculos dificultam o deslocamento

Se não bastasse a irregularidade das calçadas no centro comercial, outros obstáculos precisam ser superados, como os veículos e as mesas de bares. “É muito difícil andar só na calçada, mas a gente vai reclamar com quem?”, indaga a também aposentada Maria Odalice Ferreira.
 
O presidente da Associação dos Deficientes Físicos de Ariquemes (Asdefari), Fernando Costa, diz que para os portadores de necessidades especiais o desafio de andar nas calçadas é ainda maior. “Imagine como é difícil e humilhante para um cadeirante ter que ser dependente de outra pessoa para subir e descer uma calçada, ou para uma pessoa com muleta ou até mesmo para o deficiente visual? Ariquemes ainda não respeita a acessibilidade das pessoas”, denuncia.
 
Fernando questiona a instalação de lixeiras, placas de sinalização e até postes de iluminação nas calçadas, o que dificulta o deslocamento de toda a população. “O poder público também precisa se adaptar e desobstruir as calçadas”, lembra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário