Ocorreu um erro neste gadget

domingo, 3 de julho de 2011

Descubra quem é quem no mundo dos hackers

Anonymous: é o nome inventado por cidadãos de identidade desconhecida, que atuam no território digital e cujos ataques se dirigem a órgãos governamentais, para se referir a si próprios. Sua ferramenta mais conhecida é o LOIC. Suas primeiras ações foram contra a doutrina da Cientologia e ganhou importância internacional ao realizar sabotagens contra instituições financeiras em solidariedade ao Wikileaks.

AntiSec: movimento nascido por volta de 1999, e que se opõe à indústria da segurança de computadores, além de se identificar com os princípios do código aberto. Também é a marca deixada nos mais recentes ataques do LulzSec e é a linha que os membros dos grupo seguem.

Cracker: (do inglês, crack, quebrar) aquele que rompe algum sistema de segurança. É um hacker, ainda que não necessariamente todo hacker seja cracker.

DDoS: sigla de Distributed Denial of Service, ataque de distribuído de negação de serviço. Se faz realizando um grande fluxo de informação desde vários pontos de conexão em direção a um objetivo. A forma mais comum se realiza por meio do botnet.

Hacker: aficcionado ou profissional das ciências da informação. Se dividem em três grandes grupos. 1. 'Chapéus pretos': se valem das redes para ingressar remotamente a sistemas onde praticam atividades não autorizadas. 2. 'Chapéus brancos': aqueles que corrigem erros nos sistemas. 3. 'Chapéus cinzas': mercenários com moral ambígua que podem trabalhar tanto legalmente como ilegalmente.

Hacktivista: contração de 'hacker' e 'ativista', que designa aquele que utiliza ferramentas digitais com fins políticos. Em geral, atua como um hacker politizado, mas também pode fazer isso como cracker em determinadas causas argumentando que o fim justifica os meios.

LOUC: (Low Orbit in Canon)é um aplicativo que se encarrega de realizar ataques DDoS em páginas da web. Foi muito citado durante os ataques do Anonymous às páginas do Visa, MasterCard, PayPal, entre outros, em apoio ao Wikileaks.

LulzSec: Grupo cujo objetivo foi revelar as vulnerabilidades de empresas e sites oficiais. A sua popularidade cresceu graças a numerosas ações contra páginas de videogames como Nintendo e Sony e sites governamentais como SOCA (agência britânica contra o crime organizado), CIA, governo da China, polícia do Arizona e a presidência do Brasil. No sábado, dia 25 de junho, anunciaram o fim de suas atividades por meio de um comunicado com tom de manifesto na sua página "oficial".

Pirate Bay: página sueca declaradamente 'pirata' que facilita o intercâmbio de arquivos BitTorrent. Seus fundadores são alvo permanente de processos judicais e têm sido condenados. Em 2010 criaram o The Pirate Party, partido político que se apresentou às eleções parlamentares para defender o direito de distribuir conteúdo digital.

Script kiddie: é um termo pejorativo para descrever aqueles que usam programas e scripts desenvolvidos por outros para atacar sistemas de computadores e redes. É habitual descrever que os script kiddies são adolescentes sem habilidades para programar seus próprios "mísseis" e que seu objetivo é tentar impressionar a seus amigos ou ganhar reputação em comunidades de entusiastas da informática.

XSS: abreviação de 'cross-site scripting' (instruções cruzadas entre páginas, em tradução livre) é um tipo de buraco de segurança que permite executar código de 'scripting', como VBScript o JavaScript, no contexto de outro site. É o primeiro passo da invasão de uma página.

Nenhum comentário:

Postar um comentário