Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Bibliotecas ignoradas pela população

Foto Jana Pessôa

A capital tem várias bibliotecas públicas disponíveis à população. Porém, ao visitá-las, constata-se o abandono de público. Ainda não se sabe bem a causa, ou melhor, as causas para que isso aconteça. A reportagem foi ao Espaço Cultural Silva Freire, localizado no Coxipó para verificar a frequência à biblioteca. Mas, qual não foi a surpresa ao sermos informados que ela havia sido desativada.

O secretário municipal de Cultura, Luiz Poção, explicou que o espaço estava inadequado para a conservação e uso dos livros e, por isso, houve a desativação há alguns meses e ainda estudam o que fazer com parte do acervo que poderá ser aproveitado já que a outra parte está deteriorada por falta de zelo de administradores anteriores. O Circuito Mato Grosso então seguiu para um bom exemplo do que pode ser chamado de templo do saber: o Palácio da Instrução, localizado no Centro da cidade.

Como bem diz o nome, apesar de algumas paredes com infiltrações, há, no local, um vasto acervo e frequência maior de usuários para literatura infanto-juvenil e técnica. Contudo, o local fica ocioso em sua carga de recepção talvez pelo fato de não abrir aos finais de semana que é quando se tem tempo para o lazer. O mesmo ocorre com a biblioteca localizada na secretaria municipal de Cultura, que tem um acervo de 25 mil livros, inclusive em braile, e não encontra público para um melhor aproveitamento do espaço.

Poção indica que seja a falta de atividades e organização do local para maior atração aos livros. Por isso estuda uma forma de levar o acervo aos bairros numa espécie de biblioteca itinerante. “No centro as pessoas têm mais acesso a internet, por isso deixam os livros de lado. Já nos bairros há uma carência desse tipo de informação e os livros, com certeza, seriam bem vindos”, salientou.

Mas ainda há um oásis no deserto da ignorância e da falta de tempo e chama-se Biblioteca Alternativa Saber com Sabor, localizada na Praça Clóvis Cardoso, que, apesar de pequena, tem uma frequência de 1500 pessoas por mês e, ao contrário das outras, abre aos fins de semana das 8 às 19h.
O ambiente é climatizado e torna-se uma boa pedida para toda a família. Vale lembrar que este espaço também recebe e empresta livros.     

Por Adriana Nascimento

Nenhum comentário:

Postar um comentário