Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Presidente da Biblioteca Nacional discute incentivo à leitura com Sarney

O presidente do Senado, José Sarney, recebeu na tarde desta quinta-feira (9) a visita do presidente da Fundação Biblioteca Nacional, Galeno Amorim, que pediu apoio a políticas de incentivo à leitura no país. Segundo Amorim, apenas um em cada quatro brasileiros costuma frequentar bibliotecas, e quase metade da população não tem o hábito da leitura.
- Nenhum país no mundo chegou a ser desenvolvido sem antes incentivar a educação e a leitura. O Senado tem sido um parceiro muito importante no desenvolvimento das políticas públicas do livro e da leitura – afirmou Amorim.

De acordo com o presidente da Biblioteca Nacional, na reunião foram tratados assuntos como a gestão de políticas de incentivo à cultura e a criação de uma instituição para gerir as políticas que tratam do livro e da leitura.

Galeno Amorim também disse que Sarney se comprometeu a apresentar um projeto de lei que inclua pequenas livrarias e pequenas editoras no regime do Simples, que permite a isenção de impostos como PIS e Cofins. Amorim ainda agradeceu o empenho de Sarney no incentivo à leitura no país.
- Sarney é um “padrinho” do livro no Brasil – disse.

Amorim presenteou o presidente do Senado com o livro Os 200 anos do livro no Brasil e recebeu de presente o Catálogo de Obras Raras e Valiosas da Coleção Luiz Viana Filho. O presidente Sarney, segundo Amorim, vai propor uma sessão de homenagem aos 200 anos da Biblioteca Nacional, completados no ano passado.
- Será, também, uma oportunidade especial para trazer ao Senado as obras raras da Biblioteca Nacional – declarou Amorim.

A Biblioteca Nacional é a 8ª maior do mundo, com cerca de 9 milhões de livros. Entre as obras raras da biblioteca, destacam-se uma Bíblia de mais de 500 anos e um exemplar da primeira edição de Os Lusíadas, de Camões. A Fundação Biblioteca Nacional, que existe há 20 anos, cuida da manutenção da biblioteca e de políticas de incentivo à leitura.

Tércio Ribas Torres / Agência Senado

Um comentário: