Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, 10 de junho de 2011

Moçambique precisa engajar-se no incentivo à leitura

Escritor moçambicano Francelino Wilson. Crédito da imagem: Angola Press

Luanda – O escritor moçambicano Francelino Wilson, de nome artístico “Mukhwarura”, considerou hoje, sexta-feira, em Luanda, que o seu país, a exemplo de outros africanos, precisa de se engajar continuamente no incentivo do gosto pela leitura de modo a propiciar novos leitores e escritores.
 
Mukhwarura fez esta consideração hoje, sexta-feira, à Angop, no âmbito da II Mostra de Jovens Criadores da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) que decorre em Luanda, de 9 a 12 deste mês, sob promoção da Feira Internacional de Luanda (FIL) e do Ministério da Juventude e Desportos.
 
Para ele, este problema de leitores que ainda se regista deve-se ao facto de Moçambique só possuir ainda 35 anos de independência, depois do longo período do jugo colonial português, logo há ainda muito trabalho pela frente no incentivo à escrita e à leitura.
 
“Neste campo, há um trabalho que está a ser feito, através da Associação dos Escritores Moçambicanos que ano após ano publica autores, quer a nível individual quer colectivo, dentre os quais, figuram alguns jovens”, asseverou.
 
No entanto, o jovem escritor moçambicano revelou que, o mundo da escrita, o que o satisfaz é o facto de obter dos seus leitores o incentivo em continuar a escrever as suas ideias criativas.
 
De 25 anos e natural de Maputo, capital de Moçambique, Mukhwarura publicou a obra “ Wkomkwe-A Reforma da Prostituta”, a qual se encontra exposta na II Mostra de Jovens Criadores da CPLP.



Nenhum comentário:

Postar um comentário